Operários da Copa 2014 recebem vacina contra hepatite C

Mídia | Camilo Malheiros Freire, da Rádio ONU em Nova York.*

Segundo Organização Mundial da Saúde, a doença mata 1 milhão de pessoas por ano; trabalhadores de cinco estádios em construção já foram testados; dia 23 será a vez do Maracanã.

Uma iniciativa está fazendo testes de Hepatite C nos trabalhadores dos estádios em construção para a Copa 2014.
O projeto tenta dar visibilidade ao vírus que ataca o fígado, e atinge cerca de 3 milhões de brasileiros. Segundo a Organização Mundial da Saúde, OMS, a Hepatite C mata 1 milhão no mundo a cada ano.

Detecção Precoce

A iniciativa é da ONG “C tem que saber C tem que curar,” presidida pelo jornalista Francisco Martucci, que falou de São Paulo à Rádio ONU sobre os testes.

“Todos os operários que estão construindo os 12 estádios que vão sediar o Mundial de 2014 no Brasil, de livre e espontânea vontade fazem o seu cadastramento antecipado dizendo a sua intenção de serem testados. O nosso foco, objetivo, é testar o grupo de risco da Hepatite C, mas aquelas pessoas que não têm fator de risco e que no entanto, mesmo assim, desejam ser testadas, a gente faz a aplicação, durante a campanha, do teste rápido.”

Segundo o jornalista, a detecção precoce é um elemento importante na luta contra a doença. Segundo ele, o exame é rápido, e o resultado imediato. Os casos positivos são encaminhados para tratamento gratuito.

Doença Silenciosa

Martucci fundou a ONG após sua batalha pessoal contra a doença, que na maioria das vezes passa desapercebida, mas tem uma prevalência cinco vezes maior que o HIV.

“Lutamos pelos portadores de Hepatite C, uma doença que ataca em torno de 3 milhões de brasileiros, que faz 12 óbitos por dia, que não apresenta sintomas, e por conta disso a detecção tardia sempre é a causa da morte dessas 12 pessoas. Morte precoce, as pessoas falecem em torno de 50, 55 anos, por conta das complicações da Hepatite C.”

Cinco estádios em construção já foram testados na segunda metade de 2012, e o próximo evento está marcado para o Maracanã, neste dia 23, no Rio de Janeiro.

Segundo a OMS, a doença atinge 170 milhões no mundo, e o país com maior incidência é o Egito, onde 15% da população é afetada.

*Apresentação: Mônica Villela Grayley

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *