Orkut morreu por falta de renovação

NONATO – Bom dia, Ethevaldo, como vai?

ETHEVALDO: Bom dia, Nonato, bom dia ouvintes. Tudo ótimo.

NONATO – Ethevaldo, é verdade que o Orkut vai acabar?

ETHEVALDO – É verdade, Nonato. No último dia 30 de junho, o Google anunciou que a partir de 30 de setembro o Orkut sairá do ar, dez anos após ter sido lançado.

NONATO – Qual é a explicação para a morte do Orkut?

ETHEVALDO – Na minha avaliação, o que matou o Orkut foi a degradação da linguagem e do conteúdo, levando ao cansaço de seus usuários. Ou, de forma bem simples: o envelhecimento da rede por falta de renovação.

Para o professor Vivaldo Breternitz, da Universidade Mackenzie, o Orkut junta-se a outras redes sociais que deixaram de existir, como o Friendster.

O professor compara com a chamada “destruição criativa” – conceito lançado pelo economista austríaco Joseph Schumpeter – já que muitas novas tecnologias que surgem matam algumas outras (e com frequência empresas que as detinham). Vale lembrar que o Friendster foi substituído pelo Orkut, que foi substituído pelo Facebook.

NONATO – E o Facebook, não pode ter o mesmo destino?

ETHEVALDO – O professor Breternitz acha que o Facebook corre o mesmo risco. Concordo plenamente. É provável que a qualquer momento surja algo que ‘mate’ o Facebook.

NONATO – Ethevaldo, amanhã é sexta-feira, dia de falarmos sobre o futuro. Qual será o seu tema?

ETHEVALDO – Vou falar sobre o futuro do dinheiro, Nonato.

NONATO – Até amanhã.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *