Os primeiros vinte anos das emissoras de televisão em Santa Catarina

Neste artigo, a acadêmica de Jornalismo Beatriz Cavenaghi, mostra uma parte da história de implantação das emissoras de televisão no Estado.

BeatrizCavenaghiA autora, como declara, tem em vista contribuir para a sistematização dos estudos sobre a televisão catarinense. Ao longo deste percurso, acentua Beatriz que “algumas semelhanças e diferenças foram identificadas em relação à implantação das emissoras de tevê no Rio Grande do Sul”.

Assim, além de mapear brevemente a história da televisão em Santa Catarina, o artigo também se propõe a apontar algumas características que possam unir, do ponto de vista histórico, os dois estados na sua caminhada rumo ao mundo das imagens pela tela da televisão.

Já é voz corrente que a televisão no Brasil foi a última mídia a ser considerada para os estudos acadêmicos em razão do longo período de preconceito e de ideologização dos aportes teóricos sobre o veículo. Nesta direção, os esforços de pesquisa, principalmente os de restabelecimento histórico, em sua maioria preocupavam-se em mapear a mídia televisiva brasileira a partir do eixo Rio de Janeiro  e São Paulo, sem dúvida centro produtor e polarizador das primeiras iniciativas deste tipo de produção.

Ocorre que a televisão acontece e se desenvolve em todo o território nacional e em cada região introduz características que foram, ao longo dos anos, formatando um modo aí sim, brasileiro de ver, fazer e compreender a televisão. As emissoras surgidas em regiões menos desenvolvidas, mesmo estas sendo as capitais dos estados brasileiros, enfrentaram dificuldades e apresentaram soluções de acordo com suas especificidades geográficas, econômicas, políticas e sociais. Exatamente por este contexto, faz-se tão necessário enfrentar o desafio de buscar compreender estas configurações que também contribuem, sobremaneira, para a história da televisão no Brasil.

Por tudo o que foi exposto é que este trabalho, fruto de uma pesquisa maior, quer compreender a produção dos telejornais veiculados em Santa Catarina, e tem o objetivo de contribuir para reunir as principais referências que remetam ao restabelecimento histórico da implantação das emissoras de televisão no Estado e, de quebra, ensaiar algumas considerações sobre a interlocução da história de implantação das emissoras em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul. Neste artigo, a centralidade está mais na exposição dos dados do estado catarinense, visto que a história da televisão no Rio Grande do Sul já está muito bem representada em recentes estudos tais como os de KILLP (2001), BERGESCH (2010),SCHIRMER (2002), entre muitos outros.

O estado catarinense, embora rico em suas publicações, ainda não tem uma sistematização de dados que permita agregar e potencializar as pesquisas empreendidas por inúmeros pesquisadores, de diferentes propósitos e abordagens. Assim, o artigo ora apresentado caminha nesta direção e tenta sistematizar esta história trazendo as principais referências bibliográficas encontradas com vistas a contribuir para uma centralidade destes dados e referências. Para tanto, empreendeu-se uma ampla pesquisa que objetivou a revisão da bibliografia disponível a respeito da história das emissoras de TV em Santa Catarina. De posse deste mapeamento, foi empreendida uma análise sobre o material, destacando suas especificidades e objetivos, para posteriormente estabelecer uma rotina de sistematização das informações obtidas. Conforme STUMPF (2010), a pesquisa bibliográfica visa selecionar documentos pertinentes a um tema para evidenciar o pensamento dos autores sobre ele. Partindo desse objetivo, buscou-se cumprir as etapas metodológicas propostas pela autora, sendo o primeiro passo a identificação do material a ser analisado.

Incialmente, buscou-se trabalhos acadêmicos que pudessem agregar dados sobre o assunto em bancos de teses, dissertações e revistas especializadas. Neste estágio da pesquisa, foram encontrados quatro trabalhos acadêmicos que contribuem para o restabelecimento histórico do processo de implantação das primeiras emissoras de TV em Santa Catarina.

É importante ressaltar que esta pesquisa ainda está em curso e que o trabalho fez um recorte sobre os resultados parciais para dividir com os pesquisadores interessados neste tema as primeiras proposições sistematizadas bem como estabelecer um diálogo para receber sugestões ou críticas com vistas a implementar e potencializar o trabalho ora apresentado.

Na bibliografia mais tradicional, aquela composta por livros publicados, foram encontrados quatro títulos que remetem diretamente ao tema pesquisado. Após a identificação dos títulos, partiu-se à localização e obtenção da bibliografia. Os trabalhos acadêmicos encontrados até este momento fazem parte, em sua maioria, do acervo da biblioteca da Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, e os livros utilizados estão, em sua maioria, esgotados.

A internet, apesar de sua abrangência e grande facilidade para obtenção de dados, pouco contribuiu nesta etapa, já que os documentos que registram a história da TV no Estado são, em sua maioria, das décadas de 1980 e 1990 ou anteriores e não constam nos bancos de dados on-line. O levantamento da história das emissoras em diferentes fontes apontou para uma série de desencontros nas informações, principalmente com relação a datas. Nestes casos, optou-se pelo registro de todas as versões encontradas para contemplar as diferentes versões sobre o mesmo fato.

Em uma segunda etapa desta pesquisa, será utilizada esta mesma bibliografia para a sistematização das informações a respeito dos primeiros programas jornalísticos produzidos pelas emissoras de TV catarinenses. Nesta fase, também será realizada uma pesquisa da memória audiovisual de tais programas, a partir da busca pelo acesso aos arquivos das emissoras, do Museu da Imagem e do Som de Santa Catarina e da Casa da Memória de Florianópolis. Será necessário realizar, também, entrevistas com personagens que fizeram parte desta história, para tentar preencher com mais exatidão as lacunas deixadas pelas referências bibliográficas encontrada até então.

As histórias já contadas sobre a TV em Santa Catarina

Há cerca de 10 anos, o jornalista Moacir Pereira destacava em seu livro Imprensa e Poder que “a história real da instalação da televisão em Santa Catarina está para ser escrita”, (PEREIRA: 1992, p.50). Aliás, é importante ressaltar que Moacir Pereira, além de jornalista há 50 anos, é escritor e colunista político, atua no Grupo RBS em Santa Catarina e tem em sua trajetória uma importante  contribuição.

Está prevista, numa segunda etapa da pesquisa, a gravação de depoimentos em vídeo com personagens diretamente envolvidos com esta história de implantação. Assim, pretende-se averiguar ou tentar comprovar quais são as datas exatas dos acontecimentos relatados na bibliografia com disparidade.

O trabalho contou com a orientação da professora Cárlida Emerim do Curso de Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina e foi apresentado no 4º Encontro do Núcleo Gaúcho de História da Mídia, em São Borja, RS realizado nos dias 14 e 15 de maio de 2012.

Jornalista, Mestre em Semiótica, Doutora em Processos Midiáticos, professora e pesquisadora da graduação e pós-graduação em Jornalismo da Universidade Federal de Santa Catarina, líder do Grupo Interinstitucional de Pesquisa em Telejornalismo (GIPTele/UFSC/CNPq), carlidaufsc@gmail.com.

Jornalista, Mestranda em Jornalismo na Universidade Federal de Santa Catarina; integrante do Grupo Interinstitucional de Pesquisa em Telejornalismo (GIPTele/UFSC/CNPq); cavenaghi.bea@gmail.com

 

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *