Os Sonhadores – Lenita Cauduro

Professora de Educação Física, cabelinho curto. Nunca havia usado maquiagem a não ser um batonzinho, um risquinho no olho. Eu não sabia o que fazer, mas fui. Fui pro morro. Na hora do teste eu transpirei tanto, tremi tanto… Pediram pra fazer a leitura de um texto num ‘tele-prompter’…
Por Antunes Severo

Lenita Maria Cauduro Carneiro da Fontoura, apesar do toque de nobreza que o tamanho do nome sugere, é uma linda plebéia serrana de simplicidade sem par. Nasceu em Caxias do Sul, no dia oito de dezembro de um ano que ela não esconde: 1947.

Licenciada em Educação Física – loura de olhos castanhos, 1,78m, 74 quilos – vem morar em Criciúma, no sul de Santa Catarina, em 1972. Por questões de saúde desistiu das atividades de profissional de educação física e resolveu seguir carreira acadêmica fazendo Curso de Especialização para candidatar-se a uma vaga de professora.

Em 1978, com projeto de pesquisa na mão, chega ao escritório da Cecrisa para uma entrevista com o presidente da empresa, Manoel Dilor Freitas. Ela quer estudar o “case” Cecrisa, um fenômeno que se transformou no maior grupo empresarial da área cerâmica do mundo em menos de 20 anos. Durante a entrevista Dilor, sem qualquer preâmbulo, pergunta:
– Você nunca pensou em fazer televisão?


Lenita em Florianópolis, no início da década de 1980.

Eu disse, não. Sinceramente não… Bom, eu vou ser mais franca: eu já apensei sim, mas isso quando eu tinha 18 anos. Eu disse, eu estou em vias de fazer trinta. Acho que não é mais idade de começar uma nova carreira. Ele disse: “Engano seu. Você tem um timbre de voz muito agradável, você tem uma dicção quase perfeita”? E em seguida completou:
– Você sabe que nós vamos implantar uma TV aqui? Você não estaria interessada em fazer um teste?

Aí eu parei, pensei um pouquinho e disse: olha, na verdade não me custa nada. Porque – eu até comentei com ele – eu tenho até hoje a frustração de não ter aceitado o convite para fazer o teste de seleção para Comissária de Bordo. Eu trabalhei na Varig e recebi o convite e não fiz o teste. Sabe, aquilo foi me incomodando. Eu disse, meu Deus se eu tivesse feito eu estaria voando, conhecendo o mundo… Aquela coisa de menina de 18 anos, não é? Aí ele no mesmo instante passou a mão no telefone, ligou lá pro morro da TV, conversou com uma pessoa – que depois eu soube ser o Antônio Luiz – que era quem estava encarregado da montagem da emissora e marcou um teste para o dia seguinte. Agradeci. Conversamos um pouco mais sobre o projeto de pesquisa, me despedi e saí dali com mil coisas atropelando meus pensamentos. No dia seguinte me arrumei para ir à televisão. Professora de Educação Física, cabelinho curto. Nunca havia usado maquiagem a não ser um batonzinho, um risquinho no olho. Eu não sabia o que fazer, mas fui. Fui pro morro.


Lenita novamente em Criciuma em 2004, com os colegas
Silmar e Alexandre, na Rádio Eldorado.

Na hora do teste eu transpirei tanto, tremi tanto… Era o mês de janeiro de 1979, um calor do cão. Pediram pra fazer a leitura de um texto num ‘tele-prompter’, “maravilhoso” aquele rolinho correndo… Eu li, mas me engasguei, arregalei os olhos… Molhei os lábios… A garganta secou… Aí pediram para eu fazer um improviso. Comecei o improviso e não parei mais… Soltei o verbo, falei, falei… Pensei: bom, agora deu. Parei, desligaram a câmera e eu comecei a me preparar para sair do estúdio, de fininho. Então alguém me chamou: dona Lenita venha ver o seu teste.

Quando eu vi. Ai, que horror! Eu não posso ser tão horrorosa assim. Os defeitos salientam: o lábio parecia fino de mais, os dentes grandes demais, o olho arregalado. Saímos dali e fomos numa outra sala, tinham duas pessoas que depois foram meu diretor e minha produtora, Regina e seu Luiz Antônio. Passando pela sala, o seu Luiz perguntou para o Antônio Luiz que havia aplicado o teste: “E aí seu Antônio?”. Ele olhou bem sério pra mim e disse: “Profissional”.


Lenita primeira coordenadora da Itapema FM, com a
repórter Bete Biegens, em 1983.

Assim Lenita Cauduro inicia uma carreira de muitos anos e muitos sucessos na comunicação de Santa Catarina. Apresentou o seu primeiro programa no dia da inauguração da TV Eldorado de Criciúma: 19 de fevereiro de 1979 onde permaneceu até 1983 quando foi transferida para a TV Cultura de Florianópolis que acabara de ser comprada pela RCE – Rede de Comunicação Eldorado.

Em outubro de 1983 Lenita, a garota que sonhara ser Aeromoça, enfrenta um  novo sonho: vira radialista. Convidada pela RBS participa da equipe de implantação da Itapema FM, em Florianópolis. Depois dessa experiência no rádio FM, enfrenta outro desafio: o rádio AM trabalhando na Eldorado de Criciúma. E agora Lenita, qual é o novo sonho? “Voltar ao rádio AM em Florianópolis, com um programa de radiojornalismo e variedades”.


Lenita com a produtora Taise Pizzoni e entrevistados no programa
Studio 570 da Rádio Eldorado de Criciuma, em 2002.

Ouça a seguir a história desta guerreira vitoriosa que, aos 57 anos continua firme e forte sonhando com uma nova oportunidade no rádio de Santa Catarina. Clique aqui.

Notas:
Este texto faz parte da entrevista concedida por Lenita Cauduro, em junho de 2005 a Antunes Severo e Ana Cristina Lavratti, nos estúdios da Band FM, em Florianópolis.


{moscomment}

5 respostas
  1. Lia Suzana Borsato Bastos says:

    onheci a Lenita ainda criança em Encantado RS, achei interessante a entrevista, e gostaria de entrar em contato com ela.Grata . Lia Suzana

  2. celoi bica rodrigues says:

    conheci lenita en 69 em porto alegre e fiquei feliz ao saber onde anda
    celoi

  3. Angelita Pereira says:

    Quando adolescente assistia o maravilhoso programa de Lenita Cauduro. De voz marcante, mulher sensível e guerreira. Adorava ouvir a música de introdução do programa.
    Por incrível que pareça , na semana passada encontrei uma amiga de Criciúma e comentei a respeito daquele programa da época apresentado por Lenita, como era bom e agradável ouví-la.
    Gostaria muito em rever os programas e gostaria de saber como posso fazer?
    Abraço,
    Profa.Angelita Pereira/UFSC

  4. Zoraide Ribeiro says:

    Lenita estudou com minhas irmãs na faculdade de ed.física. Quando Lenita tinha o programa na TV Eldorado,muitas vezes fui desfilar por minha irmã Zulma ter uma loja de roupa. Como o programa era de variedades assim íamos sempre.
    Muito legal! Uma mulher centrada,guerreira,carismática.
    Não tem quem não lembre desses momentos! Inclusive a música de abertura do programa dela.
    F COME LA FEME.
    Lenita,saudades de você e de seus programas sempre muito criativos e objetivos.

    Abraço.
    Zoraide Ribeiro da Silva

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *