Os tempos mudam, os personagens morrem, a história fica

A frase acima foi “inspirada” pelo lettering do folder criado pela equipe da agência Decisão, do Luiz Cláudio dos Santos, o Luizão: Os tempos mudam. A história fica.

A frase, forte e incisiva, é um dos desafios que nos estimula e incentiva a levar adiante a missão que nos impusemos ao criar o site e posteriormente o Instituto Caros Ouvintes: Trabalhamos por um movimento de ação cooperativa voluntária em defesa da memória e do patrimônio histórico e cultural da comunicação social no Estado de Santa Catarina.

Corremos o risco calculado de ser surpreendidos pela queda natural de alguns de nossos personagens mais caros, pois que são a referência de uma fase de nossa história que, em grande parte, foi construída pela sabedoria, competência e desprendimento deles e que com eles estão se perdendo no vazio do anonimato.

Sito, como exemplo, e a título de referência, as mortes de quatro pioneiros da propaganda em Santa Catarina: fotógrafo Waldemar Anacleto, em 2003; clicheirista Doralécio Soares, em 2012; jornalista e publicitário Elóy Simões, em agosto de 2014; e o técnico em revelação e tratamento de slides, Ernst Grimm, na semana passada.

Por ainda não haver registro no Caros Ouvintes, reproduzo a seguir a nota do Obituário do Diário Catarinense, edição de 1º/12: “Faleceu no dia 27 de novembro, em São Bernardo do Campo, o médico homeopata Ernst Grimm, aos 89 anos. Ele lutava contra uma doença renal e estava internado desde agosto. Antes de mudar-se para o interior de São Paulo, viveu muitos anos em SC.

Grimm nasceu na Estônia, em 5 de maio de 1925. A família mudou-se para a Alemanha, fugindo da perseguição política.  Depois de lutar na 2a. Guerra Mundial, se casou com Henriette e decidiu tentar a vida no Brasil. Sem falar uma palavra de português, Grimm dedicou-se a estudar o idioma. Autodidata conseguiu evoluir rapidamente. Veio para Florianópolis no começo dos anos 1960 para montar um estúdio de fotografia.

Mais tarde ingressou no Curso de Medicina da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) onde graduou-se com 44 anos. Teve papel importante para a homeopatia na região. Além de um consultório no Centro da cidade, ministrava cursos e ajudou a formar muitos profissionais.

Em 1985, transferiu a residência e consultório para São José/SC. Além da esposa, deixa filhos e netos”. Na década de 1960 Ernst Grimm foi um dos principais fornecedores de serviços fotográficos e de slides coloridos para as agências de propaganda locais.

 

No quadro abaixo, um primeiro levantamento das agências pioneiras e seus fundadores, feito na década de 1980.

Agências de Propaganda – Linha do tempo. Fundadores 1956 – 1982

(Levantamento preliminar)

Nome

Local

Data

Fundadores

Walro Joinville 1957 Waldir Ribeiro
Wali Publicidade Florianópolis 1958 Walter Linhares
A.S. Propague Florianópolis 1962 Antunes Severo, Rozendo Vasconcelos Lima
Iprom Florianópolis Emílio Cerri, George Alberto Peixoto, Raul Araújo, Nilton Vasconcelos
Public Florianópolis Ney Ferreira
Gran Meta Florianópolis Júlio Pacheco e irmãos
Equipe CWB/JOI 1973 Paulo Brüning e Orlando Oliveira
VE Publicidade Joinville 1970 Eloy Struwe
SC Publicidade Blumenau 1970 Wilson José de Freitas Melro, Flávio Rosa, Caetano Deeke Figueiredo e Flávio de Almeida Coelho
Magna Blumenau Romeu Lourenção
Exa Florianópolis Eloy e César Struwe
Scriba Blumenau 1974 Getúlio Curtipassi, José Geraldo reis Pfau, Osmar Laschewitz, Ivanel de Souza e Horácio Brown.
SP Propaganda Lages 1973 Gil de Souza
Lenzi Lages 1979 Marcos Lenzi
Quadra Florianópolis Saulo Silva, Emílio Cerri, Raul Araújo, Sílvio Back
MPM POA, Blu, Fln 1973 Fúlvio Vieira
Atual Blumenau 1982 Getúlio Curtipassi
Direcional Blumenau 1982 Cao Hering

 

Este artigo faz parte da série Apontamentos para a História da Propaganda em SC

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *