Paixão pelo rádio

O jornalista Cacau Menezes, mais lido colunista de SC e que iniciou sua carreira midiática ainda garoto na emissora de seu pai, também jornalista Manoel de Menezes, parece que teve uma recaída de paixão pelo rádio. Juntamente com a filha Maria Cláudia – mais uma jornalista da família – voltou recentemente ao meio com um programa (“Macrofonia”) na Atlândida FM de Florianópolis. Mas a atração dele pelo microfone fica também evidenciada na sua coluna no Diário Catarinense. Escreveu: “Estou agora, depois de uma caminhada/corrida entre minha casa e o P12, e de um bom banho, vendo o Jornal Nacional, o que faço sempre que estou em casa desde quando o JN estreou. Era quando o Brasil ficava sabendo de (quase) tudo que acontecia no mundo em primeira mão. Hoje, como todos os dias, trabalhei e dirigi o carro ouvindo rádio. Até agora todas as notícias do JN escutei no rádio, CBN/Diário nacional e Estadão/Guarujá. Todas com correspondentes nos estados e no exterior. O Jornal Nacional e demais telejornais estão iguais nas notícias. Nas notícias que durante o dia já escutamos no rádio. Todos os dias. Antes o JN não tinha concorrente. Agora tem no rádio e na internet.” É Cacau, o rádio é viciante, sim. Ou, como dizemos nós os veteranos radialistas, uma cachaça!

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *