Papo Livre 137: a matraca era o sino da Quaresma

Chegou a hora do nosso Papo Livre para eu contar causos pra vocês. No meu tempo de guri a gente dizia que a matraca era o sino da quaresma. Ela substituía os sinos nesse período de oração e contrição, traduzindo o sentimento de pesar da comunidade pela morte de Jesus Cristo na Cruz. Eu morava a cinquenta metros da Igreja do Coração de Maria e era uma honra pra gurizada do bairro sair pelas ruas a bater matraca anunciando as cerimônias da Semana Santa. Matraca, pra quem não lembra, é aquele instrumento de percussão feito com um retângulo de madeira no qual são fixadas duas argolas, ou hastes de ferro, uma de cada lado. Ao sacudir a matraca, os metais percutem na madeira em que estão presos e produzem estalos secos que se ouve longe. Pois é, a matraca substituía os sinos que não bimbalhavam nesses dias de respeito. As cerimônias da Semana Santa até hoje emocionam os cristãos e se constituem numa das heranças da religiosidade do povo brasileiro. Este nosso Papo Livre é transmitido pela Rádio AM 630 de Curitiba, aos domingos, das 7 às 8 da manhã,  e é reproduzido no site www.carosouvintes.org.br do meu amigo Antunes Severo.

1 responder
  1. João Carlos Amodio says:

    E esta mesma matraca servia para anunciar a chegada em nosso bairro do “Barquilheiro” o famoso vendedor de barquilha. hoje ninguém lembra mais o que é! Só quem viveu esta época é que sabe, interessante que é uma expressão típica curitibana, como setra,búlico e outras.

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *