Papo Livre 146: muitos discos foram quebrados na carreira de Eulâmpio

O meu amigo Eulâmpio Viana foi um dos melhores sonoplastas que tivemos no nosso rádio. Começou jovem, 15 anãos, como operador de som da veterana PRB2. Ali aprendeu muito e era o substituto eventual o Rolf Mário, o grande cobra da época na sonoplastia das novelas da Rádio Clube naquela época. Os dois eram muito bons. Vale lembrar que nos anos 1970 era muito difícil fazer o seu trabalho, pois não havia os recursos de agora. Mais tarde, com a saída do Rolf Mário, a responsabilidade fico toda com o Eulâmpio e ele desmanchou de vez. Muitos discos foram quebrados no início da carreira, para desgosto do Jacinto Cunha que era o zeloso Gerente da Bedois.

Numa de suas primeiras atuações nas novelas, havia um capítulo que terminava tendo como fundo a Marcha Nupcial. Os sonoplastas utilizavam um disco grande onde se encontravam diversas passagens musicais, muito próximas uma da outra, que eram usadas conforme a ocasião exigia. E tudo tinha que ser feito com rapidez. O Eulampio estava nervoso e… não deu outra. Ele errou a faixa e, em vez da Marcha Nupcial, entrou a Marcha Fúnebre como fundo musical da cena em que os recém-casados partiam em viagem de núpcias.

Dá para imaginar o desespero do Ivo Ferro, que era o enérgico diretor do Radioteatro. Na hora, foi um drama, mas depois virou piada, como sempre acontece com as gafes.

Este nosso Papo Livre transmitido pela Rádio AM 630 – É Paraná, aos domingos, das 7 às 8 da manhã, é reproduzido no site da bela cidade de Florianópolis www.carosouvintes.org.br do meu amigo Antunes Severo.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *