Papo Livre 41

Eu estudei no antigo Ginásio Paranaense, quando era diretor um grande mestre que nos ensinava latim, o Professor Ribeiro.

Nesse colégio de tantas e tão gloriosas tradições, fui aluno do saudoso Maestro Bento Mossurunga que, por algum tempo, foi nosso professor de canto orfeônico.
Era uma figura extraordinária, com aqueles cabelos longos, cheios, já grisalhos, e aquela ternura comovente que fazia a gente ter adoração por ele.

Muitos anos passaram, me formei em Direito pela Federal e, tendo permanecido no Rádio, já fora diretor da Rádio Marumby e dirigia na época a Rádio Clube Paranaense quando me reencontrei com Bento Mossurunga.  Repentinamente, vi aquele homem parado à porta da minha sala, humilde, esperando ser visto e não querendo incomodar. Era ele. Minha nossa, fiquei contentíssimo.

Após um pouco de conversa e recordações do velho ginásio, ele me disse que estava representando uma entidade de direito autoral e, demonstrando desconforto, me disse que dali em diante ele visitaria a rádio todo mês para receber a taxa estabelecida. As emissoras de rádio andavam numa estica danada e ele havia sido mal recebido em algumas delas que resistiam à cobrança de mais um direito autoral. Era um sacrifico para o velho maestro, professor e compositor, fazer essa cobrança. Era um músico, não um cobrador. Era um artista, não um comerciante.

Então, se eu tive um grande prazer e uma imensa alegria em receber o mestre, para ele foi um alivio reencontrar um ex-aluno que o tratou com carinho e atendeu a sua solicitação.
Daí em diante todo mês eu tinha o prazer de conversar com Bento Mossurunga. E foi numa dessas conversas que ele me disse, num dia em que parecia estar amargurado:

– Ubiratan, eu sei que depois que eu morrer, vão colocar uma estátua minha em alguma praça de Curitiba. Mas é agora que eu preciso de apoio e não depois de morto.

Algum tempo depois parece que o governo do Paraná foi reconhecido ao maestro, autor da música do Hino do Paraná, entre tantas outras composições.
E cumpriu-se a sua predição: após ter morrido, foi colocado seu busto em bronze numa praça da cidade.

Esse nosso papo livre é reproduzido com texto e som no site www.carosouvintes.org.br do meu amigo Antunes Severo, e toda a minha coleção de causos está no site www.ulustosa.com.

TÉCNICA – Separação musical

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *