Pecadora

Começo de expediente, os jornais do chefe (que só chega às oito e meia) passam pela primeira leitura: a secretária de tantos anos pega um, o jovem datilógrafo-arquivista tem licença dela para pegar outro.
Por Flávio José Cardozo

– Viva a vida! – grita Dona Romália, faceira. – Escuta só, Evandro: “As emanações lunares chegam positivamente aos domínios do Sol, que está fazendo sua visita anual ao seu signo, sagitariana, e dá especial realce ao lado confiante e construtivo de sua personalidade. Saturno recupera seu movimento direto, tudo o que parecia meio amarrado, inclusive no amor, tende a fluir melhor. Um dia muito iluminado e florido, viva-o, ele é todo seu”.
 – Desculpe, mas pecadora é o que a senhora é, Dona Romália. Desculpe.
 – Eu pecadora, Evandro? O que é isso?
 – É o que está aqui no noticiário internacional.
 – No noticiário internacional? Que língua é essa que estás falando, menino?
 – Enquanto a senhora lê horóscopo, eu leio o que acontece no mundo e fico sabendo os seus pecados.
 – Mas que bobagem é essa, endoidaste?
 – Antes fosse, não endoidei, não. Diz aqui que o novo catecismo católico passou a considerar pecado a leitura de horóscopo.
Pausa para fazer o registro do espanto e da correspondente abertura de olhos de Dona Romália. Ela tira os óculos de ler perto, encara o rapaz sem saber ao certo se ele brinca ou se fala sério. Pelo jeito, fala sério. Aquilo é mesmo uma surpresa.
 – Isso é verdade, Evandro?
 Evandro levanta-se, vai à mesa dela levando o jornal.
 – Pelo menos é o que está aqui. É até o primeiro dessa lista de pecados novos que os padres estão lançando: leitura de horóscopo, superstição, corrupção, especulação, cheque sem fundo, tráfico de drogas, sonegação de imposto, pornografia, sexo antes do casamento, aborto, divórcio.
 – Meu Deus…
 – Mas calma, diz aqui que tudo vai ser ainda explicado, o catecismo só sai mesmo é no fim do ano.
 – Meu horóscopo… Trinta anos lendo meu horóscopo, fazendo força todo dia pra ele dar certo, sempre me animando com ele… e hoje, quando ele está tão bonito, quando ele diz que tudo o que estava meio amarrado… hoje tu vens me ler isso, Evandro!
 – Só quis avisar a senhora. Desculpe.
 – Que coisa: meu horóscopo junto com corrupção, sonegação de imposto, cheque sem fundo, tráfico de drogas, pornografia, sexo antes do casamento…
 – Quem sabe o jornal está enganado, Dona Romália. Quem sabe trocaram de lugar, em vez de botarem na lista do permitido, botaram na do proibido. Se bem que aqui no texto eles repetem que horóscopo é pecado, sim, sim, eles repetem. Mas vai ver é só um pecadinho de nada.
 – Deus queira, Deus queira – ela suspira, dando-se conta de que o chefe não demora. Junta os jornais, leva-os para o gabinete. – Há de ser um pecadinho de nada, há de ser, reza comigo pra que seja, Evandro.
(Do livro Momentos, a publicar)


{moscomment}

Categorias: Tags:

Por Flávio José Cardozo

Jornalista e escritor, nasceu em Lauro Müller no Sul de Santa Catarina e reside em Florianópolis. Integra a Academia Catarinense de Letras desde 1985. Autor de uma dúzia de livros mantém intensa atividade junto às escolas em decorrência da adoção e estudo de seus livros. Trabalhos seus têm sido adaptados para o teatro e o cinema.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *