Pesquisa IBOPE: Pouco, quase nada, a favor de jornalismo!

O segundo levantamento do Instituto Brasileiro de Opinião Pública de audiência de FM da capital de São Paulo, em 2009 não aponta nenhuma emissora que faz radiojornalismo entre as 10 primeiras do ranking.

Do 1º ao 10º lugar aparecem as rádios que apresentam em seus programas os gêneros sertanejo, axé, samba, música jovem e internacional. Nelas, o jornalismo não tem vez.

apenas 4h30min de not?cias

JP: apenas 4h30min de notícias

RB, quase 100% jornalismo

RB, quase 100% jornalismo

Na décima primeira posição aparece a Jovem Pan 2; CBN em 17º lugar; Bandeirantes em 23º lugar; Bandnews em 26º lugar e Eldorado em 27º lugar. Dessas cinco emissoras, CBN e Bandnews têm programação 100% jornalismo – a Bandeirantes (95%) ainda abre alguns horários musicais – enquanto as outras duas, Jovem Pan e Eldorado mesclam música e jornalismo, ambas com 4 horas e meia de notícias, diariamente.  

20% de jornalismo

RE: 20% de jornalismo

Se dependessem de pesquisa (IBOPE) para comercializar seus produtos, essas emissoras teriam faturamento ínfimo. Mas, situadas na capital do Estado de São Paulo, que concentra o maior volume nacional de verbas de publicidade para o veículo rádio, tiram de letra essa situação. Jovem Pan, CBN e Bandeirantes, principalmente a primeira e a última, contam com a força de suas estações de AM, que têm grande penetração/audiência.

Também conta muito o fato de que os mídias das agências de propaganda todos os dias, invariavelmente, são “tocados” por essas rádios. Ao se deslocarem de suas residências até o local de trabalho, num trânsito caótico como é o da capital de São Paulo, que demanda trajetos de longa duração, eles sintonizam muito rádio, a maioria ouvindo programas jornalísticos.

Incrível como esse IBOPE, com quase 70 anos de existência, ainda não tenha encontrado uma fórmula para pesquisar regularmente a audiência de rádios de automóveis, providência reclamada há muito tempo pelas empresas de radiodifusão.

Levantamentos, feitos sem o critério científico que dá crédito às pesquisas, apontam enorme audiência de rádio em carros particulares e táxis, em períodos de grande concentração de ouvintes entre 6h e 10h e 16 e 20h, já rotulados como horários nobres entre os automobilistas/taxistas.

Seria muito benéfico para o rádio que o IBOPE medisse nas grandes metrópoles, além da audiência em residências, a audiência nos automóveis (incluindo os táxis). A constatação oficial de maior público ouvinte – o dos automobilistas, composto por pessoas de melhor padrão aquisitivo – representaria a canalização de grandes verbas publicitárias para o veículo, com as emissoras podendo investir mais em técnica e na contratação de profissionais.

A par disso, acabariam os “achômetros”. Tem gente que aponta a CBN como a mais ouvida em auto-rádios, com acentuada vantagem entre os taxistas. Outros que indicam que a Nativa lidera entre os carros particulares e em táxis. Nestes tempos de tantas inovações tecnológicas, quem sabe não surge um GPS capaz de aferir também a audiência dos rádios ligados.

Ranking atual das emissoras de FM de São Paulo
 1º – Tupi FM 104.1
 2º – Nativa FM 95.3
 3º – Transcontinental FM 104.7
 4º – Mix FM 106.3
 5º – Gazeta FM 88.1
 6º – 105 FM 105.1
 7º – Metropolitana FM 98.5
 8º – 89 FM 89.1
 9º – Band FM 96.1
10º – Alpha FM 101.7
11º – Jovem Pan 2 FM 100.9
12º – Nova Brasil FM 89.7
13º – Tropical FM 107.9
14º – Kiss FM 102.1
15º – Rede Aleluia FM 99.3
16º – Vida FM 96.5
17º – CBN FM 90.5
18º – Antena 1 FM 94.7
19º – Nossa Rádio FM 91.3
20º – Energia 97 FM 97.7
21º – Imprensa FM 102.5
22º – Transamérica Pop FM 100.1
23º – Bandeirantes FM 90.9
24º – Terra FM 98.1
25º – Musical FM 105.7
26º – Bandnews FM 96.9
27º – Eldorado FM 92.9
28º – Cultura FM 103.3
29º – 107 FM 107.3
30º – Sul América Trânsito FM 92.1
31º – Deus é Amor FM 97.3
32º – Mundial FM 95.7
33º – USP FM 93.7
34º – Expressão FM 106.9
35º – Oi FM 94.1

Ah, do ranking acima de emissoras de FM da capital de São Paulo, excetuando-se as que fazem jornalismo, sobra pouco, quase nada de rádio com conteúdo. Há pouquíssima vida inteligente no ar na frequência modulada…

Outro ranking, o dos veículos mais admirados de 2008 (Troiano Consultoria de Marca) aponta as “mais” em rádio (mesmas emissoras do segmento jornalismo na pesquisa IBOPE, só que em ordem diferente):
CBN
Eldorado AM/FM
Jovem PAN AM/FM
Band News FM
Bandeirantes AM/FM

Confesso que me causa espanto o número excessivo de emissoras do dial de FM paulistano. Mesmo com toda a grandeza, imensa população e cuja pujança é indiscutível, a maior capital de Estado do país não suporta – o termo exato é não precisa de – tantos prefixos. Com apenas 20 rádios, acredito, daria para atender à diversificação dos ouvintes. Só 20 rádios com programações profissionais, e sem nenhuma delas arrendando seus espaços para igrejas e outros segmentos, ficaria de bom tamanho.

Sobre pesquisas, lembro de duas situações interessantes, uma de rádio e outra de TV. A de rádio foi durante minha segunda passagem, no fim dos anos 60, pela direção da Independência do Paraná. O IBOPE naquele tempo só fazia pesquisas fora dos grandes centros (Rio e São Paulo) quando era solicitado – e pago por alguma empresa –, fator que quase sempre desacreditava o resultado do levantamento feito.

Então, a divulgação dos Estudos Marplan*, que realizava pesquisas anuais de rádio, por sua própria conta, era ansiosamente aguardada. Seus resultados eram confiáveis. Na época, a Rádio Independência dava recorde de audiência na capital do Paraná, primeiro lugar disparado. Esperava-se a confirmação da Marplan, mas…

Divulgado informalmente, o resultado da pesquisa Marplan apontou a Rádio Universo em primeiro lugar e a Independência em 6º lugar. O fato frustrou o entusiasmo dos profissionais de sua equipe e causou estranheza nos meios publicitários locais.

Um apoio de primeira hora que recebi foi do publicitário Osmar Mendes, gerente da McCann Erickson, filial de Curitiba, que me acompanhou à São Paulo para uma reunião com o então diretor da Marplan, senhor Pergentino Mendes de Almeida.

Fiz uma gestão junto ao Sr. Pergentino para que a referida pesquisa fosse cancelada e ordenada a realização de um novo levantamento de audiência em Curitiba. Se a Independência não conseguisse o primeiro lugar, pagaria todas as despesas decorrentes do novo trabalho.

Diante de nossa insistência e sentindo a verdade do nosso lado, ele aceitou fazer uma nova pesquisa. Passados 30 dias, refeita a pesquisa, deu a Rádio Independência como líder absoluta de audiência e em 6º lugar, ironicamente, a Universo.

Concluindo, a Marplan, antes de fazer o novo trabalho, constatou que todos os componentes da equipe contratada, que fez a primeira pesquisa, haviam sido “comprados” por um dirigente da referida Rádio Universo (não vou declinar seu nome).

Existem pesquisas e pesquisas. Mas dizem que todas sempre retratam alguma verdade, nem que seja a verdade invertida, como foi essa da Marplan em Curitiba. E também como em 1973 foi invertida a situação da ex TV Tupi e da TV Globo em um levantamento referente à audiência da novela das oito (naquele tempo era novela das oito mesmo).

A TV Tupi vinha fazendo São Paulo parar com a novela Mulheres de Areia, que teve soberba atuação de Eva Wilma interpretando duas gêmeas (trecho postado aqui). A novela era exibida no mesmo horário em que a Globo exibia outra novela.

No noite do último capítulo dessa novela, a TV Tupi inteligentemente apresentou no seu lugar o 1º capítulo da novela que deveria estrear na noite seguinte, informando que o final de Mulheres de Areia seria apresentado logo após.

Resultado do IBOPE, oito da noite: liderança da Tupi seguida da Globo; nove da noite: Globo na liderança, seguida da Tupi. Dizem que os dirigentes da Tupi, que fizeram uma jogada de mestre naquela noite, esqueceram de avisar ao IBOPE que o último capítulo de Mulheres de Areia entraria uma hora mais tarde. A pesquisa foi muito criticada na ocasião.

Tenho um amigo, o publicitário Benedito Neves, que costuma brincar dizendo que qualquer endinheirado pode se tornar o mais elegante do Brasil. Primeiro contrata uma pesquisa para escolher quais são os seis melhores alfaiates, depois encomenda meia dúzia de ternos nos alfaiates indicados; passa a usar as novas fatiotas e finalmente contrata nova pesquisa para saber quem são os homens mais elegantes do país. Logicamente, vai estar entre os mais elegantes apontados.

Ah, falei lá em cima que o IBOPE “ainda não tenha encontrado uma fórmula…” mas o aparelho para medir audiência em auto-rádios já existe desde 2002, feito e patenteado pelo jornalista e radialista João Ruth:

Controlador de Dial é o nome do aparelho desenvolvido para medição de audiência em auto-rádios, em tempo real, que vem preencher a lacuna da falta de dados nessa área, segmento importante, dada a grande frota de veículos nos principais centros urbanos.

O sistema que foi desenvolvido pelo radialista e pesquisador paulistano João Ruth processa os dados e envia-os à emissora com um software específico pela internet. Na tela do computador podem-se ver os dados pessoais do proprietário, a emissora sintonizada e a localização geográfica do veículo. Essa é uma vantagem adicional, pois em caso de roubo ou furto o veículo está sendo monitorado o tempo todo, conhecendo-se o seu trajeto e permitindo sua localização, mesmo com o receptor desligado. O sistema serve também para rádios em residências e TV UHF e VHF. (texto disponibilizado na internet)

E já que o assunto é pesquisa de rádio em automóveis, reproduzo a seguir outro texto (Rádio online) disponibilizado na internet:

Modelo do rádio online lançado pela Blaupunkt

Em breve, as opções de rádio via satélite que existem nos EUA deverão ganhar mais um concorrente, além dos antigos sistemas AM e FM: as rádios online devem sair dos computadores e irem também para os painéis dos carros. Pelo menos é isso o que afirma a empresa alemã Blaupunkt e o portal MiRoamer, que apresentaram a novidade, chamada de MiRoamer Internet Radio, na feira CES, Consumer Electronics Show, realizada em janeiro último, em Las Vegas.

Para livrar seus usuários de pagarem mais de uma conta de conexão 3G no fim do mês, os primeiros aparelhos deverão se conectar à internet a partir de um dispositivo externo, como o iPhone 3G por exemplo. Em caso de falta de conexão, o aparelho deverá funcionar como um rádio comum.
De acordo com o site Motor Autorithy, a Blaupunkt afirma que alguns fabricantes deverão oferecer o MiRoamer como opcional para seus veículos, sem especificar marcas ou prazos.
http://uoltecnologia.blog.uol.com.br/arch2009-01-04_2009-01-10.html

* Ipsos Marplan
Fundada no Brasil em 1958, e desde então reconhecida como uma das mais respeitadas empresas de pesquisa do país, a Marplan integrou-se à Ipsos em 2001, passando a constituir a área especializada em estudos de hábitos de mídia e consumo.

FINAL, DOIS PONTOS:
1. A Globeleza já não levanta mais a platéia… e:
2. Visivelmente mais magro Ronaldo quer levantar a fiel.

Categorias: Tags: , , ,

Por Jair Brito

Jornalista de rádio e TV nasceu em Joinville/SC. Iniciou a carreira de radialista profissional como discotecário programador. Dirigiu emissoras de rádio em Curitiba, Porto Alegre, Rio de Janeiro e São Paulo. Foi produtor executivo de TV dos programas Ferreira Netto (SBT), Hebe Camargo e Crítica e Auto Crítica na Bandeirantes. (In memoriam).
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

2 respostas
  1. J.Pimentel says:

    Lí há algum tempo, no Meio e Mensagem, se não me engano, que quase 75% das verbas publicitárias distribuidas pelas agências ficavam com rádios noticiosas, incluindo AMs CBN, Jovem Pan, Bandeirantes, Gaúcha, dentre outras. A audiência das rádios musicais sem conteúdo não é surpresa. Ainda é o ranço da imposição cultural do governo da revolução para imbecilizar as pessoas, o que conseguiram com imenso sucesso e os resultados continuam. Mas a verdadeira audiência das rádios de noticia não são avaliadas, porque, em muitos casos, são rádios de consulta, que o ouvinte sintoniza por algumas horas em diversos horários, mas indica como preferência, as rádios de lazer, que ouve também por algumas horas.A verdade é que não existe pesquisa confiável. Ainda nos anos 60, as principais emissoras de S.PAULO se reuniram para fazer uma pesquisa que definisse a audiência e as tendências do rádio. Esta pesquisa foi feita pela LPM/BURKE, com uma metodologia revolucionária, gerou 12 volumes e foi considerada a bíblia do rádio naquela época. Primeiro mostrou que o rádio tinha muito mais audiência do que apontava o IBOPE. Segundo, que o público exigia vários segmentos de programação que não existiam e, por fim, mostrava caminhos incalculáveis para quem quisesse explorar adequadamente o meio rádio, num tempo em que não existia FM. A pesquisa era magnifica, mas cara e nunca mais se fez algo parecido. Midias, clientes e agências precisam ter grande sensibilidade para descobrir no universo da comunicação os bons veículos para seus produtos.

  2. Abílio says:

    Pesquisas de mercado feitas por pessoas sem formação na área de estatística sempre dão este tipo de problema! Consulte sempre um estatístico e jogue na latrina a credibilidade de sua pesquisa.

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *