Porque o rádio padece

Acompanhando, ouvindo, lendo opiniões tenho cada dia mais certeza de que o rádio brasileiro padece pela falta de visão de quem comanda.

tube-radioTornou-se prático integrar redes de rádio do eixo Rio-São Paulo inclusive assumindo o nome de muitas dessas emissoras. Retransmitir o Jornal da Manhã da Jovem Pan nos anos 70 foi uma inovação no jornalismo brasileiro. A Jovem Pan Via Embratel tinha a retransmissão de 30 minutos do Jornal da Manhã que era apresentado das 6h30 às 9 da manhã de segunda a sábado. Com o surgimento da internet os custos diminuíram para essas retransmissões. De repente começaram a aparecer rádios com o nome Jovem Pan, Globo, CBN, Bandeirantes e outras em todo o país. Com o som pela internet as emissoras locais trocaram os nomes de origem com o objetivo que ganhar mais destaque e aumentar o faturamento. Isso na verdade funciona para os jornalísticos veiculados pela Jovem Pan, CBN e Bandeirantes, não para programas direcionados ao um público específico. Hoje o Brasil está infestado de emissoras com os nomes das maiores rádios do país. Tudo muito bonito e interessante com um, porém; as emissoras locais perderam sua identidade porque grande parte da programação local não existe mais. É muito bom ouvir os programas jornalísticos dos principais centros. Só dão audiência esses programas. Os demais determinam grande queda na audiência coisa que os “gênios” que estão à frente das rádios ainda não se tocaram. Quando as rádios voltarem as suas origens como nome e programação vai melhorar a audiência e o faturamento com certeza. É isso aí.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *