Antunes Severo

Procrastinar

A história é a mesma, as personagens quase todas, também. Mesmo assim recomendo a releitura. Tenho, entre os profissionais que me apoiam no tratamento que faço para compensar os desgastes dos 85 anos de janela que cumpro hoje, três notáveis exemplos de competência, dedicação e participação: a médica chefe, oncologista, a terapeuta do Pilates e a médica terapeuta especialista em medicina tradicional chinesa  e a minha esposa Nivalda Jaques Severo, mais conhecida como Preta ou Pretinha.

Antunes Severo

Elas me acompanham, na prática, às 24 horas do dia: pelo telefone, WhatsApp, mensagem ou e-mail e a Pretinha, a qualquer hora do dia ou da noite.

Ontem, primeiro de agosto de 2017, às 10 horas da manhã, Preta e eu recebemos a visita da terapeuta que lida com as minhas emoções, idiossincrasias, hábitos, manias, preconceitos e desvios mentais. Ela monitora tudo isso e ainda faz aplicações de acupuntura e xás, os mais diversos.

Esquecia de dizer. Há, ainda um médico, clínico geral e especialista em emergências, que fica a nossa disposição durante às 24 horas do dia. Exagero? Nada disso. Comprometimento. Posso telefonar a qualquer hora do dia ou da noite. Que neste caso é complementado pela disponibilidade do telefone da esposa quando o marido está atendendo alguma urgência. Fantasia? Sonho? Alucinação? Nadica! Isso se chama qualidade de atendimento. Coisa para Marajás? Também não. Sou funcionário público. Professor Universitário e vivo do meu salário de aposentado. Nossos bens? Um apartamento de 80 metros quadrados, no bairro Estreito (na parte Continental da Cidade).

Aonde quero chegar? Em você. Primeiro, grato por ter vindo até aqui, segundo por ter aceito (ou aceitado?) o convite para continuar nesta prosa despretensiosa, mas de muita valia para mim, para meus familiares, amigos e colegas.
A palestra da terapeuta das minhas excentricidades falou durante uns 45 minutos citando casos e analisando resultados. Ela iniciou pegando pesado, embora de maneira delicada e convincente: “O corpo humano é perfeito”. Argumentou, citou casos conhecidos. “Os médicos são auxiliares. A responsabilidade pela cura é do cliente”.

Discretamente percebi que ela estava se referindo às atitudes que ando assumindo para justificar a demora da minha recuperação. Foi direto ao pote: “E você? Quais são seus planos futuros? “. Para aliviar ela ponderou: “Todos nós precisamos ter planos determinados, organizados e priorizados, se não, não se chega a lugar nenhum”.
Gelei. Ela me pegou em flagrante. Sou um dos maiores procrastinadores que conheço. Engoli em seco. Quis desviar o assunto, mas ela foi mais rápida: “Pode apresentar alguns? “

Enquanto pensava na resposta, escorriam pela minha mente uma série de verbos nada enaltecedores: transferir para outro dia ou deixar para depois; adiar, delongar, postergar, protrair.

Fui sincero com ela: esse é um dos meus maiores males. Sei que estou protelando, relegando para segundo plano, mas para parecer “bonitinho para a plateia”, me sacrifico – e muitas vezes, até prejudico alguns amigos.
Com este exemplo, me declaro em falta com a natureza e as leis universais. Ao mesmo tempo renovo a minha gratidão para quem me trata com tanta deferência, bondade e ternura.

PS 1 – Crie um propósito. Crie rotinas positivas, antes que sua mente as crie por impactos emocionais. Quebre suas rotinas de todos os dias, todos os dias. As rotinas podem ser prazerosas. Se esforce em fazer três ciosas diferentes por dia.

PS 2 – Quando fizer um plano, faça-o ilimitado. “Vou chegar a ser! “

PS 3 – O poder está comigo. Está na minha atitude.

PS 4 – Grato pela companhia.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *