Programa César de Alencar

Sábado. Sempre um dia esperado. Aulas de redação,  exposição oral de temas pelos alunos, revisão de Matemática, gostosas  aulas de Filosofia e História Geral.
João Chamadoira

Mas havia ainda a tarde. Dia de sintonizar a Rádio Pan-american, a  PRH-7, a Emissora dos Esportes: ouvir o jogo de futebol. Mais tarde, pelas seis horas, era a vez de pegar a Rádio Nacional do Rio de Janeiro, a PRE-8. E aí voz de um dos dois césares de alencar:  o animador do Programa César de Alencar, com  aquela voz inconfundível. O outro lamentavelmente, mais tarde atirou-se ao lado dos piores militares, na pior época da ditadura. Esqueçamos  essa versão.
A voz do primeiro marcava as tardes de sábado. E vinham nomes como Dick Farney  (Copacabana, princesinha do mar…”, Ivon Cury (Feijão, feijão,feijão…”), Adelaide Chiozzo (Sabiá lána gailola…”, Blackout (“Chegou o General da Banda…”), Emilinha Borrrrrba (a favorita da Marinha, “Assim se passaram dez anos…”), Marrrlene, Linda Batista (“Você há de rolar como as pedras……”),  Dircinha Batista, Carlos José, Orlando Silva (Lábios que eu beijei…”)Dóris Monteiro (Mocinho bonito, é o falso…”, Nora Ney (“Ninguém me ama””, Jorge Goulart (“Eu sou o samba…”, Ângela Maria (a Sapoti, “Tu me mandaste embora…”), Carlos Galhardo (“Um sonho mais lindo…), Cauby Peixoto (“Conceição, eu me lembro…”, Francisco Carlos ( El Broto, “Ai, ai brotinho é o falso…”), Leny Everson (Jezebeeeel…, Lana Bittencourt (Oh little darling…”), Francisco Alves (O Rei da voz, “Adeus, adeus, adeus, cinco letras…) e outros e outras…
Quadro interessante do programa musical: um Campeonato Mundial da Música.
Cada cantor ou cantora, ali, com o auditório ao vivo, representava um país. Assim, ele ou ela cantavam uma música bem representativa  de um país. Então, ouvia-se ao vivo, por exemplo,  as inesquecíveis canções:Mama, Eu sou o samba, L’Hymne à l’amour, Night and day, Uma casa portuguesa, Granada, Noches de ronda…
Saudade grande. Tempo e espaço curtos.

2 respostas
  1. Rubens says:

    Parabéns pelas lembranças.Essa era a época minha infância. Época de ouro do rádio.

    Parabéns pelo magnífico trabalho neste belo site.

    Atenciosamente,

    Rubens

  2. Julio Amaral says:

    César de Alencar jamais será esquecido pelos privilegiados como eu, que puderam constatar o seu enorme potencial e prestígio de animador de auditórios nos tempoos áureos da Rádio Nacional do Rio de Janeiro. Dono de enorme carisma, inteligência e presença de espírito, César conseguia mobilizar todo um país através do seu fabuloso programa aos sábados à tarde. Por lá passavam todos os maiores artistas do Brasil e também convidados internacionais. A grande estrela do programa era a eterna Favorita da Marinha Emilinha Borba, que levava à loucura milhares de fãs apaixonados. Por tudo isso, dedico a ele uma página no Facebook, onde o reverencio com respeito, carinho e saudade.

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *