Projeto Ultravioleta

Milton – Bom dia, Ethevaldo. Como vai? Ethevaldo – Bom dia, Milton; bom dia, ouvintes. Tudo ótimo. Milton – Ethevaldo, como vai o Projeto Ultravioleta, que você anunciou aqui há alguns meses? Ethevaldo – Vai reagindo e começa a decolar. Mas vale antes relembrar que ele é uma aplicação curiosa do armazenamento em nuvem de CDs, DVDs, blu-rays e outros produtos. O Projeto Ultravioleta começa a funcionar no momento em que compramos conteúdos de um CD, de um DVD, ou de aplicativos de empresas associadas ao projeto, como Microsoft, HP, Sony, Panasonic e Samsung e estúdios de Hollywood. Você não leva nada para casa, a não ser um código de acesso ao conteúdo pela internet. Como você disse, tudo isso fica na nuvem.Milton – E qual é o avanço atual do projeto? Ethevaldo – É o lançamento de um servidor doméstico que armazena seus filmes, numa espécie de nuvem particular, que é acoplado em sua TV a cabo e permite baixar todos os DVDs e blu-rays que você comprou ou alugou. Milton – Qual é a sua previsão sobre o futuro do Projeto Ultravioleta? Ethevaldo – Acho que ele terá um sucesso relativo, porque é o primeiro a virtualizar todo o conteúdo de produtos que as pessoas ainda preferem guardar fisicamente. Mas no futuro tudo mudará, Milton. Milton – Amanhã é sexta-feira, dia de falarmos sobre o futuro. Qual será o seu tema? Ethevaldo – Falarei sobre o futuro da nuvem, ou melhor, da computação em nuvem, em 2020. Milton – Até amanhã. Rádio CBN Brasil | MUNDO DIGITAL, com Ethevaldo Siqueira

Categorias: , Tags:

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *