Propagar, a missão

Em matéria de duas páginas da edição de hoje, 23/02, do ND Florianópolis, o jornalista, escritor e pesquisador cultural, Paulo Clóvis Schmitz sintetiza com muita competência e carinho os 50 anos de fundação da pequena A.S. que se transformou na Propague, a pioneira das grandes agências de publicidade de Santa Catarina e uma das mais antigas do país.

PC abre o texto com os holofotes iluminando além da poeira do tempo, doces lembranças de singelas e ingênuas imagens de dias e horas que não voltam mais. Sem o mofo do saudosismo, mas com requintado bom gosto o repórter deixa escapar um pouco da muita beleza com que trata o seu trabalho, e diz: “As rádios tocavam Love me do, primeiro hit dos Beatles e Roberto Carlos lançara Splich, splech, uma musiquinha ingênua e dançante que fazia sucesso entre os fãs da Jovem Guarda”.

Antunes, ladeado pelos colegas de diretoria Peixoto, Martins, Roberto e Benjamim

Pois foi nesse ambiente de tranquilidade e bonança que dois locutores da Rádio Diário da Manhã, Antunes Severo e  Rozendo Vasconcellos Lima resolveram criar uma agência de propaganda – um negócio absolutamente desconhecido entre empresários do comércio, da indústria e dos serviços na Capital catarinense.

No dia 13 de novembro os empreendedores instalam-se em duas salas no quarto andar do prédio do então Banco do Estado de Santa Catarina e no dia 14 de fevereiro de 1963 recebiam o registro da firma emitido pela Junta Comercial de Florianópolis.

A ousadia dos radialistas, entretanto, foi entendida pelos comerciantes que já anunciavam em rádio e que estavam familiarizados com a linguagem publicitária. Foram clientes pioneiros Fiambrerias Koerich, Café Otto, Móveis Cimo, A Soberana, Casas Jodi e das Noivas e A. Gonzaga, entre outros.

Em sua leitura da cidade acanhada do início dos anos 1960, Paulo Clóvis lembra que “na imprensa Zury Machado mantinha uma coluna que falava das madames e dos bem nascidos e Celso Pamplona criou, já no final da década um programa de televisão (que aqui chegou em l969) sobre temas da sociedade” e arremata PC: “A essa altura, a Propague, que começara com duas salas alugadas e com uma secretaria e um office boy, comprou sua sede própria no edifício Comasa, na rua Felipe Schmidt”.

As comemorações dos 50 anos da Propague foram iniciadas em novembro de 2012 e devem se estender por todo o ano de 2013. Entre os eventos programados está o livro dos 50 anos escrito pelo jornalista Flávio de Sturdze que comenta: “Há passagens pitorescas e engraçadas, que me estimularam a escrever um texto leve”.

Categorias: Tags: ,

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *