Propague: os 50 anos de uma iniciativa pioneira

No final de 1962, os radialistas Antunes Severo e Rozendo Vasconcellos Lima criaram uma agência de propaganda chamada AS Propague. Foi uma ousada bravura. Os tempos eram de incerteza, insegurança e instabilidade política, econômica e social. Eram os tempos ferventes do que acabaram resultando na derrubada do governo federal e a assunção de uma junta militar que se perpetuou no poder a partir de 1964.

Por ingenuidade, desinformação ou, quem sabe, por uma premonição atávica, os dois rapazes fundam um negócio desconhecido sem ter a menor tarimba empresarial. Aliás, nem dinheiro tinham. As duas salas alugadas foram pagas com parte dos salários dos dois aventureiros.

Decididos, batalhadores e perseverantes eles venceram as barreiras naturais de toda iniciativa pioneira, fizeram o negócio vingar, crescer e se firmar definitivamente.

Na sexta-feira, 15/3, no centro de eventos do Costão do Santinho, em pleno nordeste da Ilha de Santa Catarina, Antunes Severo – o menino do arroio Itapevi é distinguido e recebe das mãos de Roberto Costa, atual presidente da Agência, a “homenagem da Propague a Antunes Severo por ter dado início à história da agência que mudou a propaganda catarinense”. (A foto da entrega é do acervo da agência e a do troféu é uma ousadia do editor e foi clicada com o iPhone).

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *