QUATRO ASES E UM CORINGA

Tenho uma amiga que não se cansava de dizer: ai, eu adoro Os Quatro Asas de Um Coringa. Até que um dia ela descobriu que o conjunto vocal e instrumental de sua paixão se chamava mesmo era Quatro Ases e Um Coringa. Inspirado na carreira e no astral dos rapazes do nordeste hoje falo de outros Quatro Ases e Um Coringa: os sulistas Manoel Corrêa, o ‘seu’ Maneca, Ramiro Gregório da Silva, Souza Miranda, Valmor Silva e Walter Souza.

Em 1939, os irmãos cearenses Evenor, José e Permínio estudavam no Rio de Janeiro e decidiram formar um quarteto vocal e instrumental juntamente com o amigo André, mais conhecido por Melé, que significa coringa. O grupo foi, juntamente com os Anjos do Inferno, o conjunto de maior destaque na segunda fase da chamada época de ouro da música popular brasileira, principalmente na década de 1940.
Pois os nossos Ases, que vêm dos tempos do pioneirismo do rádio do final dos anos de 1940 continuam na crista da onda fazendo sucesso atrás da latinha e também nas lides de produção e gerenciamento de emissoras.
Manoel Corrêa produz e apresenta programas na Clube de Lages; Ramiro Gregório da Silva está na direção da recém inaugurada Aquarela FM de Barra Velha; Souza Miranda comanda seu histórico Souza Miranda Show ao microfone da Difusora AM de Florianópolis; Valmor Silva, produz e apresenta programas na Bandeirantes AM de Tubarão e Walter Souza mata a gente de saúde com o seu programa Serenata Moderna todas as noites ao microfone da Rádio Alesc Digital.
Convergências
Entre essas históricas figuras da radiodifusão catarinense há alguns pontos em comuns muito interessantes:
Ramiro comemorou seus 55 anos de atividade profissional inaugurando no sábado, dia 10/02 a Rádio Aquarela FM de Barra Velha que ajudou a criar e instalar e da qual é diretor.
Manoel Corrêa, o velho e querido ‘seu’ Maneca dos programas regionais, no próximo dia 15/02 completa 50 anos de atividades com uma folha de serviços invejável ao microfone da Rádio Clube de Lages.
Souza Miranda, o galã incorrigível de voz melodiosa e postura elegante, campeão em longevidade completa nestes dias 63 anos de profissão. Miranda é natural da cidade paranaense de Morretes, iniciou sua carreira no rádio em Paranaguá e está em Santa Catarina desde 1954.
Valmor da Silva, nascido em Florianópolis, inicia a carreira de radialista em Laguna, através da Rádio Difusora, em 1949, como repórter e locutor esportivo. Transfere-se para Tubarão em 1954 onde atua na Rádio Tuba. Retorna à Laguna com a inauguração da Rádio Garibaldi, mas em 1964 volta para Tubarão onde continua até hoje como locutor noticiarista e produtor e apresentador do programa político semanal Frente a Frente na Rádio Bandeirantes AM 1090. Completa 60 anos de rádio este ano.
Walter Souza é o benjamim desta turma de dinossauros do rádio e ao mesmo tempo é um dos que cultiva uma das mais longas carreiras na radiofonia catarinense. Começa fazendo locução comercial na (extinta) Rádio Jurerê de Florianópolis, em 1958 e não para mais. É repórter, locutor esportivo, Disc Jockey, grava comerciais, trabalha em rádio e televisão simultaneamente, gerencia a comunicação sonora de programas de governos do Estado e hoje coordena a Rádio Alesc Digital que transmite pela Internet e onde mantém o programa Serenata Moderna, todas as noites de segunda a sábado.

Com este breve registro o Instituto Caros Ouvintes renova o compromisso de preservação da história do nosso rádio e seus personagens, pois aqui falamos de 350 anos de vida, dos quais uns 200 seguramente dedicados à comunicação radiofônica de Santa Catarina.
Colaboraram

:: João Luiz Dutra Povoas, coordenador de pesquisa do projeto Memória da Radiodifusão de Santa Catarina promovido pela ACAERT.
:: Paulo Roberto Guimarães, atual gerente executivo da Rádio Mais Alegria de São José.
Sites relacionados
:: Dicionário MPB
:: Grupo SCC
:: Rádio Alesc


Matérias publicadas no portal Caros Ouvintes
As pioneiras: Rádio Difusora de Laguna
A Rádio Difusora de Laguna Sociedade Ltda, depois de fundada em 1943 pelos sócios Nelson Alves de Paula Almeida, Erotides Guimarães e Carlos Horn, nos seus 62 anos já completados, passou por várias e diferentes mãos.
Por Antunes Severo
Ramiro, o colecionador
Ramiro Gregório da Silva, velho guerreiro e amigo de fé é também um colecionador de amizades. Semana passada (9/8/2006), chega aos 71 anos rodeado de amigos, familiares e colegas de trabalho. Não pude estar presente, como gostaria, mas ele sabe o quanto vale a nossa amizade e o carinho que tenho por tudo que faz e representa. Por isto este registro, que acredito seja também a voz dos nossos caros ouvintes.
Por Antunes Severo
Souza Miranda, O Peregrino do Rádio
Em cinqüenta anos de carreira Souza Miranda trabalhou em dezenas de rádios do Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro. Apaixonado por uma Catarina ancorou na e vive aqui neste “pedacinho de terra perdido no mar”, como diria o poeta Zininho.
Por Antunes Severo
Walter Souza
Walter Souza fala a Ricardo Medeiros e conta como entrou e porque saiu da efêmera Rádio Jurerê.R – Nesse almoço aí você falou da rádio Jurerê, essa também eu acho importante porque eu quase não tenho informações sobre a rádio Jurerê.


{moscomment}

Categorias: Tags:

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *