QUE SAUDADE DO GUARANÁ PUREZA

Na minha infância da década de 1960, íamos aos finais de semana na casa de minha Tia Gê, Gertrudes, instalada no Morro da Mariquinha, em Florianópolis. Ao nos ver soltava um lindo sorriso e já dizia: “vamos hoje comprar uma Pureza”, aquele refrigerante gasoso anunciado pelas ondas da Rádio Diário da Manhã.
Por Ricardo Medeiros

Era sempre assim. Em sua casinha simples, que tinha no quintal goiabeiras e pés de mamão, aos domingos a anfitriã recebia com muito carinho a família de Sebastião e Margarida, meus pais.
Ao chegarmos na residência de madeira, Tia Gê nos beijava. Depois jogava conversa fora com meus pais. Queria saber de tudo que se passava com aquela família que havia deixado Joaçaba, no Meio Oeste catarinense, para aportar na Capital.
No almoço havia o tradicional macarrão com galinha assada. Para beber, ela sabia o que a criançada queria. Eu, meus irmãos Rudi, Beco, Jane e Rose, nós éramos uníssonos: queríamos pureza, o guaraná que descia redondo. Huuuummmm, muito gostoso e fabricado pertinho de Floripa, em Rancho Queimado.
No final da tarde, era hora de ir embora. De nos despedirmos da querida Tia Gê. Mas logo, logo faríamos uma outra visita para a ex cozinheira do Hotel Majestic. A saudade seria imensa do seu abraço e também do líquido gasoso, assim veiculado na poderosa Rádio Diário da Manhã no momento do programa Alma Sertaneja:
“Quando você pede Pureza, você está pedindo um refrigerante da mais alta qualidade. Puro porque é fabricado com a cristalina água da Serra. Saboroso porque na sua composição entram essências da mais alta qualidade. Não faça por menos. Exija Pureza. No bar, no lar, Pureza não pode faltar. Pureza é um produto de Leonardo Sell, distribuída, nesta Capital, por Eugênio Portella, no Estreito, na rua Santos Saraiva, 1199, telefone 6336”.
:: Spot de rádio do Guaraná Pureza


{moscomment}

Categorias: Tags: ,

Por Ricardo Medeiros

Doutor em Rádio pelo Departamento de História da Université du Maine (Le Mans, França). Radialista, jornalista, escritor e professor de rádio do curso de Jornalismo da Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina e assessor de imprensa da Prefeitura de Florianópolis. É um dos fundadores do Instituto Caros Ouvintes.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *