Quem ouve rádio?

Embora momentaneamente ausente dos microfones, tenho acompanhando de perto o rádio brasileiro, a partir de São Paulo. Hoje a internet nos permite esse luxo de poder ouvir qualquer emissora do país ou mesmo do exterior. As emissoras de FM começam a tomar conta das programações outrora veiculadas pelas AM especialmente com a implantação do jornalismo e do esporte. Tudo porque, as programações nessas emissoras são quase a mesmice em todos os prefixos. Exceto Antena 1, Eldorado e Alfa que colocam no ar uma seleção musical de qualidade.

Há uns 20 anos a Jovem Pan FM inovou com o Tutinha colocando no ar grandes comunicadores (Serginho Leite, Paulo Leite o velho Milk, Beto Rivera) e ele mesmo interpretando Djalma Jorge era a grande sensação dos sábados. Depois apareceu o “boi na linha” e mais recentemente a equipe do “pânico” brilhantemente comandada pelo Emílio Zurita, a quem eu vi chegar na Jovem Pan. De lá para cá as rádios FM de São Paulo tem praticamente as mesmas programações.

As exceções hoje ficam por conta do jornalismo da CBN, Band News e o esporte. A Transamérica por exemplo tem cinco horas diárias de esporte e a Band FM transmite a mesma programação do AM. Estão chegando neste domingo a Band News para transmissões esportivas e a ESTADÃO/ESPN sucessora da Eldorado/ESPN com grandes profissionais. Oxalá alcancem seus objetivos. A Band News na verdade se limitará a transmitir inicialmente só os jogos. Já a ESTADÃO/ESPN se voltará inteiramente para o jornalismo e o esporte no AM 700 e no FM 92,9 o que é a grande novidade no rádio paulistano. Com isso a certeza de que sua audiência vai decolar.

Só esporte
São Paulo tem espaço para que se forme uma emissora totalmente esportiva pela quantidade de eventos que são realizados diariamente. Quando trabalhava na Jovem Pan, transmitíamos jogos de basquetebol do campeonato citadino e estadual, e o voleibol. A emissora criou e manteve por anos o Torneio de Natação aos finais de semana e o Torneio de Futsal Colegial e Basquetebol que foi um sucesso e revelou muita gente. Há ainda os eventos automobilísticos. Cleiton Machado, irmão do consagrado Cleber Machado da TV Globo já tentou montar uma rádio totalmente esportiva em FM. Só espero que não tenha desistido dessa idéia definitivamente. São Paulo tem público para todos os gostos e a exemplo da Sportv e ESPN na tevê fechada, o rádio também tem espaço para uma emissora totalmente esportiva. Quem sair na frente verá que o retorno estará garantido.

Audiência
O que notei nas pesquisas dos últimos seis meses no rádio AM é que as primeiras são as que tem uma programação totalmente popular e de acordo com os institutos de pesquisa direcionados as classes C, D, E, F. Chama a atenção a falta de maior audiência nas emissoras que direcionam para as classes A e B. Por isso o rádio AM e o FM (é só acessar as pesquisas do IBOPE), tem sua audiência maior nas classes C, D, E, F. Qual seria a explicação para esse fenômeno se é que assim podemos chamá-lo: falta de qualidade de programas e profissionais? Ou seria somente a falta de qualidade de som das emissoras que transmitem em AM.

Questionamento
Conversei durante a semana com Éder Luiz comandante da equipe esportiva da Rádio Transamérica de São Paulo e que através da sua empresa a MÍDIA MIX terceirizou o futebol da Rádio Record em 2010. Aliás, fez um ajuste recentemente e renovou o contrato por mais cinco anos com a Rádio Record. Pela amizade de três décadas com o Éder, fiz uma consulta a ele pois tenho recebido indagações sobre isso e aquilo do seu esquema com a Record. Questionamento de profissionais que como eu estão fora do ar neste instante. E a pergunta é sempre a mesma: “Porque o Éder Luiz não transmite futebol em separado na Record e na Transamérica?”

Ele me afirmou que está tratando desse assunto com carinho e que é possível que isso possa ocorrer futuramente.

Respondido?  É isso aí.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *