Quero ser Radialista

Antunes Severo é o culpado. Eu estava ali, quietinho, corujando a conversa entre ele e o Chico Socorro, e aprendendo, claro, porque não ia perder aquela oportunidade, quando, sem mais nem menos, ele se virou pra mim e me interpelou: “Quando lhe perguntam qual a sua profissão, o que você diz?”.
Por Eloy Simões

Publicitário, respondi sem titubear. E nem poderia ser de outro jeito. Afinal, graças a essa profissão, pude criar meus filhos e viver razoavelmente bem até aqui. Estou, por acaso, professor, mas não me sinto bem quando me chamam por esse título. Ainda não fiz por merecer. Sou jornalista por formação e porque também gosto dessa atividade, mas meu negócio mesmo é estudar, planejar e criar comunicação de marketing.
Disse tudo isso a ele, e parece que ficou satisfeito, pois para minha felicidade – porque assim continuei aprendendo – deu seqüência à conversa que estava mantendo com o Chico.
Pro Severo o assunto pode ter terminado ali, mas pra mim, não. Aquela pergunta ficou passeando na minha cabeça. E passeou tanto, que sonhei com ela. No meu sonho, vivi um replay da cena, onde ele refez a pergunta:
“O que você quer ser?”
Acordei naquele momento, respondendo bem alto:
“Radialista!”
Tão alto que acordei a Deborah, que dormia ao meu lado.
Então, tomei consciência: eu quero ser radialista.

Os assuntos desta crônica e outros que o leitor poderá conhecer daqui pra frente, são parte das reuniões da Confraria Usina de Idéias, que apesar do nome pomposo é muito simples e descontraída. As quintas-feiras na hora do almoço se reúnem da esquerda para direita Antunes, Dagoberto, Chico, Emílio e Elóy.
Quero contribuir para que esse veículo volte a ser inovador no seu conteúdo. Inovador como foi no tempo da Rádio Nacional, com os Programas César de Alencar, PRK-30, Nada Além de Dois Minutos, Papel Carbono, Hora do Pato, Balança Mas não Cai, Jararaca e Ratinho e aquelas novelas todas.     
Inovador como a Rádio Bandeirantes, com a introdução do intervalo comercial diferenciado, do Enzo de Almeida Passos e o seu Telefone Pedindo Bis, A Hora do Trabuco e vai por aí afora. (Aliás, o dia em que contarem, pra valer, a história do Rádio brasileiro, farão justiça a essa Emissora. Assim, como farão justiça ao contrabando, que nos trouxe o rádio Spica, de pilha: e à indústria automobilística brasileira, dois dos responsáveis pelo renascimento do rádio).
Quero contribuir para o surgimento, no rádio, de criadores como Max Nunes e Chico Anísio. Mostrar pra essa garotada toda que rádio é emoção, criatividade. Que é possível gerar, na cabeça do ouvinte, as imagens que o rádio, aparentemente, não tem. E imagens muito mais ricas do que as mostradas pela televisão.
Quero ajudar o rádio a despertar, nas pessoas, de forma inteligente e criativa, o espírito de cidadania. Como foi na época da ditadura, com a divulgação intensa das músicas de protesto, por exemplo.
Sim, quero recomeçar.
E recomeçar como radialista. Meu espírito não sossegará enquanto eu não conseguir isso.


{moscomment}

5 respostas
  1. luan mendes viana says:

    olá pessoal, gostaria de saber como posso fazer para trabalhar como radialista , pois gosto muito gostaria muito de verdade , minha familia e meus amigos dizem que tenho uma voz de locutor de radio, mas gostaria de ingressar nessa profissao.muito obrigada pela atençao
    tenho 18 anos me chamo luan e moro no rio de janeiro!abraços

  2. Antunes Severo says:

    Caro Luan,
    Voz é apenas um instrumento. É como se você tivesse um violão, por exemplo.
    Agora você precisa aprender a tocar esse instrumento.
    Aí você tem dois caminhos: 1) aprender por conta própria – que é o mais difícil e penoso; ou 2) estudar – que é o que faz a maioria dos bons profissionais.

  3. kevin says:

    bom eu morro em casacvel pr e quero muito ser locutor de radio mas nao sei aonde vou eu tenho 13 anos quero fazer algun curso mas nao sei aonde ir sera se tem como vcs me ajudar?? obrigado

  4. vicente says:

    Gostaria de saber como fazer para ser um radialista e trabalhar em um radia como locutor.

  5. josias alves says:

    De tanto ficar sintonizado em todas rádios que tinham programa esportivas e transmissões de jogos de futebol;isso me fez pensa em outra profissão,ai pensei poxa tenho 21 anos da tempo de eu estudar curso locução ai respectivamente fazer locução esportiva,quando ficava ouvindo jornadas esportivas eu sonhava narrando jogos no rádio,pra o rádio é´o melhor veiculo de comunicação,eu vou em busca do sonho.um forte abraço.josias alves-jandira-sp.

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *