Rádio à válvula, ondas curtas, longas e freqüência modulada

Os aparelhos de rádio tiveram um papel significativo na história da humanidade, principalmente na primeira metade do Século XX, quando ornamentavam as salas de visita, e quando também as poltronas, a sua frente, estavam sempre lotadas de ouvintes, ávidos pelas novidades que vinham pelo ar.

Durante a Segunda Guerra Mundial, era pelo rádio que todos conseguiam as notícias sobre “quem estava ganhando a guerra”.

Conta a história que os adeptos do Terceiro Reich só ouviam os discursos do líder pelo rádio se o aparelho receptor fosse de fabricação alemã!

Tenho dois amigos que colecionam rádios antigos. Tenho outro amigo que os vende. E, finalmente, possuo um amigo que conserta rádios antigos, sejam eles a válvula ou transistorizados.

Houve uma época, lá pelos anos sessenta, em que o impacto dos radinhos de pilha popularizou as transmissões radiofônicas ao máximo. Acostumado a sentar na poltrona, ligar o mastodôntico Telefunken, alinhar a estação com o verde do “olho mágico” e escutar música ou notícia na altura de som desejada, o cidadão passou a levar seu radinho a tiracolo, como se fosse um apetrecho de campanha, e xingava, quando a pilha acabava!

Pois é, os colecionadores de rádios antigos continuam mais ativos do que nunca.
Santa Catarina teve um colecionador que ficou na história: Heinz Kohlbach, de Jaraguá do Sul. Quando morreu, em 1998, aos 77 anos de idade, tinha uma respeitável coleção, com mais de 600 aparelhos.

Heinz havia começado a vida como técnico de rádio. “A Eletrônica”, de Jaraguá, era nos anos 1950 a única que consertava rádios na cidade. Depois, o negócio transformou-se em uma loja de eletrodomésticos e, finalmente, Kohlbach fundou a sua pequena fábrica de motores elétricos, que depois ficou conhecida como a segunda maior do Brasil e da América Latina.

Mas mesmo milionário, o “hobby” de Heinz continuou sendo consertar os rádios que conseguia reunir para a sua coleção.

Lembro que ele tinha sua fábrica em Jaraguá do Sul em um morro que ficava na frente da casa dos meus avós paternos, na Rua Presidente Epitácio Pessoa. Já lá vão 50 anos.
Sabedor que meus avós tinham um grande aparelho de rádio Grundig em casa, seu Heinz fez de tudo para comprá-lo. Minha avó Maria, porém, mesmo depois da morte do meu avô Carl, sempre recusou desfazer-se do aparelho.
O rádio acabou ficando comigo quando ela faleceu. O seu fim? Os cupins deram conta do tesouro, o que até hoje me dói no coração.
.
Numa reportagem que o jornal “A Notícia” de Joinville publicou por ocasião da morte de Heinz Kohlbach, seu filho Wilson revelou que a coleção possuía até um rádio que tinha pertencido a Adolf Hitler!  O rádio fora adquirido de um velho amigo de Brusque, que, por sua vez, o havia ganhado da própria camareira de Hitler.
Para Heinz só eram colecionáveis os rádios a válvula.

Rememorando estes fatos me deu uma baita vontade de ter de novo um rádio a válvula, de ondas curtas, médias e freqüência modulada, quem sabe na cabeceira da cama.

E depois sairia atrás de dois bambus, os quais, fincados a uma distância de uns dez metros um do outro, seriam unidos em seu topo por um fio de cobre, com isoladores nas pontas, servindo de possante antena para captar os sinais de ondas curtas das emissoras internacionais do mundo inteiro.

E quando o rádio pifasse, eu daria uma pequena batida nele, o que iria colocar no lugar uma válvula mal encaixada, e a transmissão seguiria em frente, clara e límpida…

Acho que vou parando por aqui, antes que me convença, a mim mesmo, de que tenho que ser, também, um colecionador de rádios antigos!

13 respostas
  1. Adalberto Day says:

    Grandre amigo
    Carlos Braga Mueller
    Mais um belo texto e sobre Rádio a válvula. Creio que o BRaga quando fala dos amigos que colecionam e vendem, um deles seja eu, que coleciono e possuo alguns rádios desses. Realmente é fascinante sintonizar um rádio a válvula, oos meus fuincionam perfeitamnet, são momentos raros e únicos.
    Um abraço e de Adalberto Day cientista social e pesquisador da História em Blumenau

  2. Joacir da Silva e Souza says:

    Caros amigos
    Muito estimo a quem escreve e relembra os velhos receptores à válvula. também tenho paixão por este hobby que é tão gratificante. Trazer de volta ao ar um rádio que estava mudo há décadas é realmente fascinante, ver as válvulas acendendo,ouvir os estalos das estações e sentir o cheiro da válvula quente… Tenho também uma coleção de de cerca de 70 peças em São bento do Sul, (o Sr Heinz Kohlbach andou por aqui também e levou muitos) se alguém quiser escrever esteja a vontade, segue meu e-mail: [email protected]
    Prezado Carlos Braga Mueller, o que é feito da coleção da Sr Kohlbach hoje?

    Um abraço de Joacir da Silva e Souza – colecionador São Bento do Sul.

  3. Carlos Braga Mueller says:

    Prezado Joacir,

    Como já frisei em correspondência pessoal, é muito bom que existam os colecionadores de rádios antigos, que sabem o valor de uma válvula…
    E que suspense quando um rádio caía da mesa e você ia ligá-lo, esperando que nenhuma válvula tivesse queimado ou quebrado !
    Com referência à coleção do Sr. Kohlbach, não sei o destino que levou, mas acredito que seus familiares tenham dado atenção especial ao assunto.
    Quem sabe alguém possa nos informar.
    Abraços
    Braga Mueller

  4. Fabio Portugal says:

    Tenho um par de rádios motorola PX300-S, estou vendendo por R$1000, só não tem os cabos de alimentação para carregamento das baterias, dispenso curiosos, meu e-mail: [email protected]

  5. joao roberto mendes says:

    Lendo sua reportagem acima lembrei-me da epoca que fui repres. coml. da Kohlbach no estado de goias e dist fed.
    Numa convenção na fabrica foi solicitado pelo Heinz que eu procurasse oficinas antigas que haviam deixado de funcionar para comprar as coisas velhas que haviam na referida. Em anapolis-go encontrei uma que o filho do dono vendia com tudo, ou seja, com prateleiras e até a poeira de mais de 20 anos fechada, sem ter sequer aberto a porta para ver o que tinha dentro. O Heinz mando uma f-4000 de jaragua do sul até anapolis-go so pra trazer a oficina com a bagulhada que tinha dentro.
    Esta deve ser uma das muitas historias que deverá ficar na nossa memoria de uma pessoa excelente, muito amiga e que infelizmente perdemos.
    João Roberto Mendes
    Bauru-sp

  6. elinor froio says:

    tnnnnnnne n nnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnnum telefunken anos 30 40 pesando uns 50k primeiro dddpotirendaba ncomprado na mesbla como saber modelo 686 de1936

  7. S2audio says:

    Falando do rádio a valvula, sou do tempo deles por intermedio do meu pai. Veterano do rádio a valvula.
    Ainda hoje atuo na área colecionando, reparando e restaurando para os amigos e alguns clientes que tenho.
    Não deixo de maneira alguma um rádio philips modelo A 495 batizado como Matador em comemoração a um espanhol famoso da época. (El Matador)
    Utiliza das válvulas AK2 – AF3 – ABC1 – AL2 e AZ1 como retificadora.
    Estas válvulas são raras e quando encontra para adquirir alguma delas, é carrissimas.
    Não sei se tenho a permissão para escrever aqui, mas ai esta o meu pequeno recadinho.
    Forte abraço a todos.
    João Batista dos Santos

  8. Antunes Severo says:

    Oi João, aqui é apertadinho de propósito, mas temos todo o espaço do planeta para os colaboradores voluntários do Caros Ouvintes.
    Escreva suas memórias, conte os seus causos, fale dos rádios que você conserta.
    Encaminhe seus textos, com fotos ou áudios para [email protected]
    Abraço,

  9. Joacir da Silva e Souza says:

    Pessoal já fazem quase 5 anos que escrevi o primeiro recado aqui, a coleção virou vicio, cuidem com isso (risos). Hoje com mais de 130 radios descaco Um Siemens de 1929 raríssimo e um Crowsley americano do mesmo ano. Para quem tiver algum radio para troca ou quiser conhecer a coleção entre em contato

  10. eno josé tavares says:

    RÁDIOS JÁ FORAM EQUIPAMENTOS SUBVERSIVOS ,E, ASSUNTO DOS CORREIOS.

    era uma temeridade ter rádios receptores,em ondas curtas,médias e frequência modulada,dos anos “40” aos anos “70”.Nos primeiros exemplos,foi durante a Segunda Guerra,quando tínhamos rádios, cuja fonte alimentadora eram as baterias de veículos,pois a Ilha Encantada ,e, a Grande Florianópolis,só foram contempladas efetivamente com eletricidade,a partir do Governo Celso Ramos,nos idos anos sessenta.Mesmo assim,ter um rádio de válvulas, alimentado por eletricidade e ou baterias,era uma verdadeira motivação de perseguição, por parte de órgãos policiais e da repressão em geral.E era obrigatória, a autorização e pagamento de uma taxa,daquelas salgadas,nos Correios e Telégrafos…Na verdade,a informação e contra informação, durante a Segunda Guerra Mundial,era intensa…Ora era a Voz da América,com seus noticiários a favor dos Aliados,ora era a oz da Alemanha,em favor dos Paises do Eixo…Isso, nas décadas de “40”…Encerrado o conflito,veio a Guerra Fria,com União Soviética e China Comunista de um lado, e, Estados Unidos,Inglaterra e França,compondo o Ocidente Democrático…Nas escaramuças politicas do Brasil Varonil,tínhamos udenistas e pessedistas, engalfinhados em lutas políticas e de poder cruel…No meio disso tudo,os órgãos de Imprensa Gráfica e a Radiodifusão,mostrando na prática,a força do rádio…E assim foram ainda,na Década de “70”,quando a “Redentora”mantinha severo controle ,sobre toda a forma de comunicação social,em particular e com maldade,as emissoras de rádio ,e, de televisão, em preto e branco…Muita gente foi presa,muito emissora de rádio foi lacrada e desapareceu e ou se juntou “manu militari”,aos grandes conglomerados ,como Diários Associados e Rede Globo…Então,para um registro histórico ,a RÁDIO DIFUSÃO,foi sempre uma poderosa arma política,social e aproveitando o final da Copa do Mundo,registrar,que desde 1930 até 2014,o Rádio pode ser considerado um indispensável instrumento na difusão do futebol…E com toda a tecnologia cibernética,hodierna,a rádio difusão foi,é ,e,será eternamente, uma preciosa e poderosa ferramenta no cotidiano da cidadania,principalmente ,e, com muita intensidade,nos veículos rodoviários,náuticos e aéreos…Concluindo,a Rádio Difusão jamais perderá seu valor,para o dia a dia da humanidade,pois a televisão com toda a força que aparenta ter,ainda não desbancou a Rádio Difusão,pois continua ,literalmente,a fazer a cabeça dos radioouvintes…

  11. eno josé tavares says:

    ´”TÃO”ARREPIANDO A RÁDIO DIFUSÃO,ABUSANDO DA LIBERDADE DE EXPRESSÃO….

    não são só emissoras de rádio…mas também televisões e imprensa gráfica…diríamos até,que tem mesnos”peixe”,do que o querem vender…Teimoso que sou,voltei a comprar um “raidinho”de pilhas…Crueldade Infame…Um autentico berrante,estrondeava aos quatro cantos do mundo…’te redime,pecador…te entrega ao Criador,que o mundo tá acabando….O fogareú do Inferno,já te esquenta as orelhas…Fui a loucura…Dentro de um carro,na Ponte Colombo Salles,em plenas doze horas do dia….Horror…Vou me jogar ao mar,pelo menos a queimadura sedrá menor….”Mas pera aí…”Se eu trocar de BOTÃOZINHO?” PORCARIA…TREZE TROCAS ,E, AQUELES FANÁTICOS ESGOELADOS A PRAGUEJAR,ME CONDUZINDO AO FOGO DO INFERNO”…Não me joguei ao mar….joguei o “raidinho”….caiu na cabeça de um cachorro que passava sob a ponte….Arrepieu para minha casa em Biguaçu,antes que os fogos infernais celestiais,desses pastorebas, transformassem meus gatos e cachorros,de rua,em hot dogs e hotcats…Arrepiado,mais vinte canais de tv a cabo….tudo missionário….tudo apalavrado com as divin,dades e o Criador…Pombas….brancas ou de qualquer cor ou tamanho….Então as vozes do Além,gritam aos meus ouvidos:”….não estás gostando?Tem controle remoto e botão de desligar…Se ainda não for suficiente,bota essa porcaria de “raidinho”na coleta de reciclaveis….Será assim,que essa caterva vai acabar com a Radio Difusão?Vou voltar para o Serviço de Altos Falantes,da Praça XV,da Barraquinha do Padre Zé e por aí vai….

  12. NILSO BREVIGLIERI says:

    tenho rádio Philco de 1937 e preciso consertá-lo
    Favor indicar técnico para o mesmo na região de
    São Paulo – Capital
    Obrigado.

  13. Marcus Machado says:

    Gostaria de saber da possibilidade do seu amigo arrumar a calibração do meu Transglobe Philco que apenas funciona com perfeição na faixa de FM. Desde ja agradeço.

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *