Rádio, uma paixão duradoura – 2

Aldo Mikaelli

Na Rádio Emissora Sant’Ana permaneci por dois anos com a direção geral do bispo Dom Antonio Mazzarotto (1890-1980), a supervisão do Padre Paulo Xavier Machado, na direção comercial Dr. Brasil Borba e na direção artística Iraci Travisani Rosa. A emissora com aparelhagem nova Telefunken sobre saia das demais justificando o slogan “O melhor Som” e a expectativa da nova potência e também para nova freqüência dos 900 quilohertz e naturalmente mais festa para ambos os acontecimentos.

Durante os seus cinco primeiros anos a emissora católica presenteou a cidade com grandes espetáculos com artistas de renome nacional – Miltinho, Calouros do Ritmo, Ginoca, Roberto Domingues, Léo Vaz, Dilú Mello, Miroslava, Elen de Lima em apresentações sob o comando do saudoso Mário Vendramel.

Em 1965 desliguei-me do prefixo ZYS-77 Rádio Emissora Sant’Ana e vesti a camisa da Rádio Difusora de Ponta Grossa comandada pelo comendador Wallace Pina e assessorado na direção pelo Pina Ribeiro, hoje advogado em Curitiba, Dr. Arthur Fernandes Pina Ribeiro e lá encontrei novos companheiros, Ozires Nadal, Nelson Lopes, Ronaldo Folador, Jaime Amatnecks, Michel Acras e Orley Ziegmann, ambos cronistas sociais; Fernando e Rosemary Lopes Pereira e Luiz Frederico Daitchmann e nessa Emissora participava do radioteatro e mantinham programas de estúdio, permanecendo cerca de dois anos.

Mais tarde, voltei para a Rádio Difusora encontrando agora a direção do Nilson de Oliveira e os companheiros Orlando Galvão, Osni Gomes, Aroldo Martan, Cação Ribeiro e Luiz Carlos Castilho. Como a vida de radialista sofre muitas alterações meu objetivo era a Rádio Clube Pontagrossense e no papo com o diretor Barros Jr ingressei na Clube criando, produzindo e apresentando aos sábados das 19 as 24 horas um programa de bastante audiência, O Nostalgia, com o atendimento de muitos ouvintes.

Criei e apresentei com o Orlando Galvão que vindo da Difusora vestiu a camisa da Clube, o programa de auditório Show de Calouros, sendo que o candidato vencedor da semana eu levava a Curitiba para apresentação no programa do amigo Mário Vendramel e do qual eu participava como jurado. Na Rádio Clube criei um programa radiofonizado com uma equipe de atores e semanalmente era encenada uma historia relativa a uma musica.

Participei com a dupla Irani e Terra do programa de auditório “Ô de Casa”, aos domingos das 20 as 22 horas. Foi uma época gratificante, já que lançava pela TV Esplanada do Paraná, na época Rede Tupi de Televisão, meu programa “Noite de Seresta” com regional de José Mariano e recebendo cantores e cantoras da cidade e região e foi um programa muito bem aceito, já que são passados praticamente 30 anos e as pessoas nas ruas fazem referência ao mesmo.

Alguns anos mais tarde eu voltaria a TV Esplanada, já com a Rede Bandeirantes, para relançar o Noite de Seresta. Foram passagens memoráveis pelo Rádio e Televisão, mas como a vida do radialista é cheia de nuances, acabei arrumando minha mala e seguindo para Londrina; história que contarei na 3ª e última parte destas minhas memórias.

Categorias: Tags: , ,

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

3 respostas
  1. paulo veyga says:

    adorei ler esse arquivo mas estou aprocura de videos fotos da aquela época
    q foram muito importante para mim
    ja procurei entre os sistes mas nao consigui
    e acabei achando esse testo falando da época q eu to procurando
    qualquer coisa assim parecido pesso a gentilesa q me envie-e um email
    desde já Agradeço

  2. ALDO MIKAELLI says:

    Não sei se o amigo Paulo esta a procura de fotos da epoca, pode acessar a Rádio Clube Pontagrossense e também o site plantaodacidade onde tem fotos e historias da época.

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *