RC10 – Cano no Ar

Aviso que comemoraremos o décimo Rádio Criativo com uma quebra de rotina: dez é número par, dia de usar o lado direito do cérebro, porém hoje não vamos falar só bobagens. Calma, nada de ficar sérios demais, pois exageros nessa direção só trazem duas alternativas; o ridículo ou então a doença da chatice.
Por José Predebon

Entonces, como diria Espronceda, arriba, vamos chamar a nossa locutora – menina, é com você!
Ela – Ah, predeba, ainda não, pera um pouco…
JP – folgadinha, esperar o que, tá na hora, já vamos entrar no ar!
Ela – É, mas eu não estou com meu texto…
JP – Doidivina serigaita, onde você deixou o script?
Ela – É que, sabe… acontece que eu ainda não recebi meu texto.
JP – Como assim, oh, raínha sem trono, oh, greta garbo sem texto, cadê aquele redator sumidinho, cadê o script, por que você não foi atrás dele, se está quase na hora do programa?!
Ela – Eu fui, mas… não encontrei… achei que ele já tava chegando…
JP – Ah, taí o que houve, ficou quieta pra livrar a cara do namoradinho, vão acabar os dois procurando emprego, e só podem achar  em emissora que não tem horário, mas também não tem programa, nem locutora, nem script, nem redator, nem m. nenhuma!
Ela – Pera, predeba, não fica assim, olha, tá tocando meu celular, deve ser ele; é você, benzinho, onde você está? Sei, sei, sei… ah, é? Sinto muito, que coisa né?
JP – Estou contando até dez pra mandar vocês passearem!
Ela – Olha predeba, ele foi fechar as calças e prendeu a pele no ziper, ele tá pedindo pra eu ir lá ajudar…
JP – XWKXWK! Já vamos entrar no ar, já, já, e sabe o que você vai fazer? Antes de ir soltar a pelinha do zíper do efebo desastrado, você vai ler em trinta segundos esta pérola aqui, de 500 caracteres, e depois se despede explicando aos ouvintes o que está acontecendo!
PRESSA.
Maldita máquina desalmada, maldito relógio neurótico que me perseguiu, me empurrou, me fez atrasar, suar, tropeçar, engasgar, xingar, chorar, me mijar, aí eu corri, puxei o zíper, e agora isso, grito de dor com palavrão e tudo, prendeu, prendeu bem aqui, o que eu faço, já sô azarado, mas isso nunca, cadê a tesoura, vou cortar a calça em volta do zíper, e aí visto outra calça por cima e vou com o zíper pendurado por dentro, vão achar graça, merda, ai, ai, quando eu sair dessa zíper nunca mais, ai, ai, meu são longuinho, peraí, não é esse, qual é o santo que acode esse caso, pode ser o são curtinho!
(técnica encerra o programa)


{moscomment}

Categorias: Tags:

Por José Predebon

Publicitário, jornalista e escritor. Poeta nas horas vagas. Criativo, tranquilo e ponderado, depois de uma intensa e longa atuação como publicitário é professor e conferencista tendo como tema a criatividade. Escreveu os livros Criatividade, Criatividade hoje, Curso de Propaganda e Propaganda – profissionais ensinam como se faz.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *