Recado ao Glorioso Senhor Jesus dos Passos

Em 2007, meu pai foi informado de que precisaria fazer uma nova cirurgia cardíaca. Enfartou muito jovem, aos trinta e seis anos, numa época que não havia recursos a não ser rezar, mas só aos sessenta e dois fez a cirurgia, quatro pontes entre safenas e mamária. – Agora é a válvula que tá ruim, seo Lourival, precisamos operar. Deixamos passar as festas de fim de ano e marcamos em seguida, disse o médico. Estávamos em setembro. Meu pai negociou. – Tudo bem, doutor Frederico, mas com uma condição: eu faço aniversário no dia 24 de março. Eu quero fazer oitenta anos. Se o senhor marcar antes disso eu não venho. Se marcar para o dia seguinte, eu estarei aqui.

A cirurgia ficou marcada para o dia 07 de abril pela manhã. No dia anterior fomos para o Imperial Hospital de Caridade para os procedimentos e providências que antecedem a cirurgia. Mal nos instalamos, meu pai me convidou para irmos à Capela Menino Deus. Queria “conversar” com o Senhor dos Passos. Filho de pai católico fervoroso, membro da Irmandade, e mãe espírita, meu pai era um espírita sui generis; estudioso e praticante da Doutrina Espírita, mas devoto de Santo Antônio e do Senhor dos Passos.

Na saída, ele deixou o seguinte recado no livro de registros que existe na Capela: “Caro Senhor dos Passos, amanhã vou fazer uma cirurgia. Peço-lhe a graça da recuperação da minha saúde e o meu retorno ao seio da minha querida família. Muito obrigado!”, e assinou com sua caligrafia bonita.

À noite, na entrevista para verificar o seu estado geral, a enfermeira descobriu que meu pai esquecera de descontinuar o uso do anticoagulante do qual fazia uso regular; havia o risco de hemorragia. A cirurgia foi, então, remarcada para dali a uma semana.

Fizemos tudo de novo. Internação, instalação das coisas no quarto, visita ao Senhor dos Passos, reza e assinatura no livro de pedidos. Dessa vez meu pai escreveu assim: “Caro Senhor dos Passos, cá estou novamente e tu bem sabes o motivo”. Assim era o meu pai.

A cirurgia transcorreu nos conformes e meu pai enfrentou tudo com galhardia, mas, infelizmente, o Senhor dos Passos tinha outros planos para ele.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *