Salvador terá rádio feita por garotas de programas*

A cidade de Salvador ganhará no segundo semestre uma rádio produzida por prostitutas e apoiada por uma associação das profissionais do sexo da Bahia, informou o coordenador da emissora.
Por Denis Eduardo Serio

A Aprosba (Associação das Prostitutas da Bahia) conseguiu autorização do Ministério da Cultura para montar uma rádio FM, que se chamará Rádio Zona. “A gente não pretende fazer apologia à prostituição, mas vamos lutar pela dignidade de profissão, sim”, afirmou Sandro Correia, escolhido pela Aprosba para coordenar a emissora.
A rádio terá programas sobre prostituição, mas Correia afirmou que esse não será o único conteúdo abordado. Segundo ele, a emissora pretende veicular atrações sobre direitos humanos, questões raciais e sociais, tendo como público-alvo inicial as prostitutas e “as pessoas marginalizadas da cidade”. “É inevitável que tenhamos um programa exclusivo sobre prostituição, temos que contemplar prioritariamente essa população, com temas como abuso sexual e abuso de autoridade. Mas a idéia é que tenhamos programas diversificados que contemplem a área de saúde, prevenção da Aids e racismo, por exemplo,”, acrescentou Correia.
Ele afirmou que pretende atingir a paridade no número de garotas de programas e técnicos de radiodifusão dentro da emissora, com o objetivo de melhorar a formação profissional das prostitutas. Não há, entretanto, a pretensão de tirá-las da atual profissão. De acordo com ele, o financiamento da rádio será feito através de recursos da Aprosba, publicidade e patrocínios culturais.
*Material publicado em 09-03-2006 no site www.msn.com.br


{moscomment}

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *