Santa Catarina terá lançamento de livros nacionais sobre o Rádio

Os jornalistas Ricardo Medeiros, Valci Zuculoto, Eduardo Meditsch e Izani Mustafá participam das obras

No próximo dia 10 de novembro ocorre no Estado o lançamento regional de dois livros impressos com destaque nacional. Trata-se de “Panorama do Rádio no Brasil”, organizado por Nair Prata, e “70 Anos de Radiojornalismo no Brasil (1941-2011)”, organizado por Sônia Virgínia Moreira. Na primeira obra, há um artigo do jornalista Ricardo Medeiros sobre as emissoras da região de Florianópolis. Na outra obra, a professora da UFSC Valci Zuculoto  escreveu “Raízes e transformações no modelo de notícias para o rádio”. O também professor da Universidade Federal, Eduardo Meditsch, assina a orelha do livro.  Os autores pertencem ao Grupo de Pesquisa (GP) de Rádio e Mídia Sonora da Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação. O lançamento terá como local, às 19 horas, a Assembleia Legislativa.  A iniciativa do evento é da Associação Catarinense de Imprensa-Casa do Jornalista, em conjunto com o Sindicato dos Jornalistas Profissionais de Santa Catarina. Na oportunidade será lançado ainda o e-book “Mídia Sonora em 4 dimensões”, obra com coordenação de  Nair Prata e Luciano Klöckner.  Do estado catarinense há duas pesquisadoras com artigos, Izani Mustafá e Valci Zuculoto. Confira.

Panorama do Rádio no Brasil
Com selo da editora insular, o livro Panorama do Rádio no Brasil traça um amplo inventário das emissoras de rádio de todas as 27 Regiões Metropolitanas do país.

Florianópolis está presente com um artigo de Ricardo Medeiros. Pela pesquisa do professor da Estácio de Sá e da UFSC, há no grande centro populacional 22 emissoras, sendo dez em amplitude modulada (AM) e 12 em frequência modulada (FM). Somente a capital catarinense congrega 14 estações. No cômputo geral, o destaque fica por conta do avanço das igrejas nas ondas hertzianas, uma vez que controlam sete rádios com programação religiosa.

Das emissoras em FM, exceto a Regional, UDESC e a Cidade, nove formam redes, ou seja, transmitem no todo ou em grande parte uma programação comum. No caso das AMs, operam desta forma a CBN Diário e a Guarujá.

Das estações de amplitude modulada, três delas têm caráter de rádio informativo (CBN Diário, Guarujá e Record) e  quatro  possuem 100% de programação religiosa (Cultura, Central, Santa Catarina e Voz Missionária). Na categoria rádio popular se encaixam três estações: Guararema, Clube e Vale. São emissoras que tentam chegar ao máximo de público, com foco principal nas classes C e D, aliando a isso uma locução vibrante e a participação do ouvinte em jogos e passatempos. Em AM, Florianópolis sedia oficialmente  seis emissoras de rádio e São José duas. São João Batista e Tijucas, cada uma das cidades possui uma rádio do gênero.

Frequência Modulada

Das doze emissoras em FM da Região Metropolitana, oito receberam concessão do Governo Federal para operarem no município de Florianópolis e quatro têm licença para as cidades de São José (2), Santo Amaro da Imperatriz e Tijucas. Existem três estações ligadas a igrejas evangélicas: Sara Brasil, Continental 99, 3 e Novo Tempo.

A Antena 1, Itapema e UDESC caracterizam bem o que é chamado de rádio de relaxamento ou de baixa estimulação. O rádio de mobilização é verificado nitidamente na Atlântida, Regional, Band, Jovem Pan,Transamérica Hits e Cidade. A alta estimulação tenta tornar o ouvinte participativo de uma transmissão em ritmo dinâmico.

Interação

Na convergência de mídias, a CBN Diário transmite o programa esportivo Debate Diário, das 13h às 14 horas, e o Notícia na Tarde, das 15h às 16 horas, também pela TVCOM, canal pago da RBS. A Rádio Record utiliza-se do áudio integral de algumas atrações das televisões Ric Record e Record News para abastecer a grade de programação.

Futebol
Há pouco tempo, apenas as rádios de amplitude modulada Guarujá e CBN Diário faziam a cobertura dos jogos de futebol do Avaí e do Figueirense. Mas o privilégio acabou. Em Florianópolis, a Band FM e a Regional FM também  apostaram  no ramo  para atrair audiência. As duas emissoras formaram equipes esportivas para acompanharem os times no Estado e em outras regiões.

70 anos de Radiojornalismo

Com 384 páginas, o livro 70 anos de Radiojornalismo no Brasil: 1941 – 2011 é resultado de 20 anos de estudos sobre o veículo desenvolvidos por diversos pesquisadores de diferentes estados brasileiros, que nos seus artigos resgatam a construção histórica do radiojornalismo nacional.
Do pioneirismo do Repórter Esso à contemporaneidade do rádio digital, os artigos são divididos em quatro grandes eixos temáticos : Referencial histórico; Notícia, Reportagem e Repórter; Linguagem e Público; e Análises Regionais.

Valci Zuculoto integra a obra com o artigo “Raízes e transformações no modelo de notícias para o rádio”. Nele, a pesquisadora faz um resgate das “raízes e principais transformações históricas do modelo de notícia radiofônica no Brasil, no que se refere principalmente ao texto, seu formato e linguagem, e técnicas de produção.”

Para isso, a autora reconstrói, fase a fase, a história do veículo no nosso país, desde o advento do rádio brasileiro até os dias atuais. Conforme Valci Zuculoto, “no rádio dos primeiros tempos, a notícia é exceção. Na ‘Época de Ouro’, é que o radiojornalismo realmente se desenvolve e ganha impulso. E a notícia do rádio brasileiro começa sua trajetória efetiva com a chegada do Repórter Esso às emissoras do país, em 1941. Portanto, importa um modelo norteamericano e traz o seu conceito de ‘lead’ não somente para as ondas radiofônicas, mas para todo o jornalismo nacional.”

Resumindo seu artigo, Valci Zuculoto acrescenta que “além dos impactos determinantes deste marco histórico, também reconstitui diversas outras influências, como a do Grande Jornal Falado Tupi, e em períodos mais recentes, as dos modelos ‘all news’ e ‘talk and news’. Na contemporaneidade, ressalta as transformações marcantes sob o desenvolvimento das novas tecnologias da informação e comunicação.”

Eduardo Meditsch assina a “orelha” do livro, informando que a obra celebra dois aniversários: os 70 anos de radiojornalismo no Brasil e as duas décadas de intensos trabalhos do “Grupo de Pesquisa em Rádio e Mídia Sonora” da Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação.

Sobre o GP, afirma que é um “dos mais bem sucedidos esforços coletivos já realizados para compreender a mídia em nosso país”.

Quanto aos 70 anos do radiojornalismo nacional, que tem como marco histórico a chegada do Repórter Esso às ondas radiofônicas brasileiras, Meditsch lembra que o famoso noticioso veio com “o objetivo de vender uma marca de gasolina e, de quebra, alguns interesses geopolíticos e econômicos de seu país de origem”, os Estados Unidos. Mas para o Brasil representou mais. De acordo com o pesquisador da UFSC, passamos a “conviver com um padrão profissional de radiojornalismo, inexistente até então, importado com o Repórter Esso”. 70 anos de Radiojornalismo no Brasil: 1941 – 2011 foi editado e é distribuído pela Universidade Estadual do Rio de Janeiro – UERJ.

E-book Mídia Sonora em 4 dimensões

O e-book “Mídia Sonora em 4 dimensões”, outra obra deste lançamento regional, organizada por Nair Prata e Luciano Klöckner, também conta com coautoras que são pesquisadoras do rádio, jornalistas e professoras em Santa Catarina. Izani Mustafá e Valci Zuculoto assinam artigos na obra, mais uma publicação do Grupo de Pesquisa da História da Mídia Sonora da Rede Alcar – Rede Alfredo de Carvalho.  O livro virtual, como já anuncia seu título, apresenta, resgata, discute, analisa o rádio em quatro dimensões:  Ouvintes & Falantes; Memória & futuro;  Programas de Rádio; e  Tecnologia & Futuro.

Izani Mustafá está na obra com o artigo “As mulheres na Rádio Difusora AM de Joinville (1941-1961)”, onde faz  resgate histórico e análise da presença feminina nessa emissora joinvillense durante a era de ouro do rádio brasileiro. Nessa época, conforme relembra a autora, “ocorreu a formação das três primeiras emissoras de Joinville (norte de Santa Catarina): Rádio Difusora, Colon e Cultura. E a exemplo do que verificamos numa das principais emissoras do Brasil, a Rádio Nacional do Rio de Janeiro, também na Rádio Difusora AM havia mulheres que apresentavam programas de auditório, cantavam e eram atrizes das radionovelas. Na administração da primeira emissora também estava uma mulher, Juracy Brosig, casada com o fundador Wolfgang Brosig. Ela cuidava da coordenação, da programação e ainda apresentava programas como ´Vozes da Juventude´ e ´Beleza, arte e elegância´. Juracy é considerada a primeira locutora a trabalhar em rádio em Joinville.”

Valci Zuculoto, com o artigo “Radiojornalismo brasileiro: proposta de investigação histórica sobre experiências contemporâneas de redes, sistemas e produções conjuntas”, oferece reflexões acerca do tema, a partir de modelos e iniciativas propostos especialmente pela EBC – Empresa Brasil de Comunicação e também pela ARPUB – Associação de Rádios Públicas do Brasil.

O e-book é uma edição virtual da EDIPUCRS e se encontra em http://ebooks.pucrs.br/edipucrs/midiasonoraII.pdf

Serviço
Livro: Panorama do Rádio no Brasil
Páginas: 590 páginas
Preço: R$ 40,000
Editora: Insular

Livro: 70 Anos de Radiojornalismo no Brasil
Páginas: 384 páginas
Preço: R$ 40,000
Editora: Universidade Estadual do Rio de Janeiro – UERJ.

E-book: “Mídia Sonora em 4 dimensões”
Acesso: http://ebooks.pucrs.br/edipucrs/midiasonoraII.pdf
Edição virtual: EDIPUCRS

Contatos para imprensa:
Eduardo Meditsch: (48) 9982-2938
Ricardo Medeiros: (48) 3251-6124/8411-0911
Valci Zuculoto: (48) 9968-3972

Categorias: Tags: , ,

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *