Sapiência Humana

selo-armazemComparações com girinos e espermatozoides e especulações sobre a origem da vida na Terra. Não se sabe o que exatamente nos trouxe até aqui. Um monte de teorias religiosas e científicas perambulam nossas mentes como os espermatozoides fazem na corrida pela perfuração do óvulo. Esta, aliás, é uma das verdades que ninguém questiona sobre a origem da vida. É nela que nos concentraremos. Valha-me Deus, não há maneira mais eficaz de abordar o tema do que essa, pois a Igreja Católica não encherá o saco como no caso das células tronco. Trata-se apenas dos objetos lançados no jato da vida.

Religiosamente falando, um Deus foi responsável pela criação, porém, os mais inteligentes humanos, isso é, cientistas, filósofos, escritores, traficantes e prostitutas, nenhum deles acredita nisso. Talvez porque alcançaram o auge da sabedoria humana, e se veem acima de um Deus criador. Também não vamos entrar nesse mérito.

É preciso manter o microscópio nos espermatozoides. Vistos pelas lente desse aparelho, eles parecem girinos, aqueles filhotes de sapos que se vê por aí. Isso! Espermatozoides são girinos microscópicos e agora mudou-se o foco das lentes para a origem dos sapos. Em uma grosseira analogia, os sapos e os humanos nascem parecidos. Mas, os girinos, é necessário frisar, são imensamente maiores e visíveis a olho nu. Nem quero imaginar o estrago que um girino faria se tentasse perfurar um óvulo humano.

Os girinos, entretanto, pouco têm a se gabar no que diz respeito ao seu desenvolvimento. Tornar-se-ão apenas sapos. Já o espermatozoide vencedor da anárquica corrida pela vida, depois de lançado no ensandecido jato do prazer sexual, esse pode um dia virar humano se for capaz de fecundar. Só os biólogos e os estudantes têm que ser lembrar que já foram espermatozoides e talvez percebam como fomos semelhantes aos girinos. Essa é origem da sapiência humana.

É hora de abordar (eu não disse abortar) as distinções entre o futuro das larvas dos homens e dos sapos. Ao passo que o humano tem uma enorme vantagem sobre os sapos, ele tem mais problemas, pois enquanto o anfíbio precisa apenas sobreviver, fazendo uso do seu instinto, o homem precisa sobreviver, fazendo uso da sua cabeça, a casa da razão, das emoções. A CPU do ser humano.

Não apenas pensamentos bons rodeiam a cabeça dos Adões e Evas da Terra. Há também pensamentos que perturbam moralmente a existência dessa raça que se diz filha de Deus. Somente os loucos não t