Senhoras e senhores, com a palavra o cidadão Pedro de Assis Silvestre

Especial | Florianópolis, 287 anos | Afinal, que cidade estamos construindo?

Sem tradição política, mas ativo e observador do dia a dia das pessoas, Pedrão surpreendeu um bocado de gente quando se elegeu vereador nas eleições de 2012. Com poucos recursos e sem padrinhos abonados, optou pelo caminho das pedras e saiu-se bem. Sua campanha foi feita basicamente usando com “engenho e arte” as imensas (mas, pouco conhecidas) capacidades das redes sociais. Nesta entrevista à repórter Cláudia Barbosa porque decidiu ser vereador. Ouça no podcast a entrevista seguida da composição Ilha, de Altair Debona Castelã, interpretada pelo Coral Hélio Teixeira da Rosa com regência do maestro Rogério Guilherme de Oliveira.

Conhecido por todos como Pedrão, Pedro de Assis Silvestre é manezinho da Ilha e morador do bairro de Coqueiros desde que nasceu. Um homem sério e bem querido por todos, Pedrão carrega consigo valores aprendidos em família, em especial, com seu avô Joãozinho Assis, como a simplicidade, a confiança e a alegria de viver. Pedro de Assis Silvestre é vereador à Câmara Municipal de Florianópolis em primeiro mandato (2.699 votos), pelo Partido Progressista (PP), partido do qual é o líder.

Categorias: , Tags: , ,

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

1 responder
  1. Amanda says:

    Por isto meu voto não foi disperdiçado. Quem o conhece sabe do caráter, simplicidade e dignidade de MENINO-HOMEM que com toda certeza irá fazer história no nosso país.
    PARABÉNS PEDRÃO
    ACREDITAMOS EM VC!!!

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *