Sensores e pixels

Rádio CBN Brasil | MUNDO DIGITAL, com Ethevaldo Siqueira
Ethevaldo, o que é mais importante para a avaliação de uma câmera fotográfica digital? Será o número de megapixels? Ethevaldo – Não necessariamente. Aliás, esse é um ponto que engana muitos consumidores. Para muita gente, quanto mais megapixels, melhor será a câmera digital. Milton – Como avaliar, então, uma câmera? Ethevaldo – Vou dar o exemplo concreto de duas câmeras do mesmo fabricante. É o caso de dois modelos de câmeras Nikon, uma com 16,2 megapixels e outra com 24,2 megapixels. A de 16,2 megapixels, no caso, assegura fotos de melhor qualidade do que a de 24,2 megapixels. Milton – Qual é a explicação para essa contradição?

Ethevaldo – É o tamanho do sensor, Milton. A melhor qualidade das fotos não resulta apenas da resolução de um sensor, mas de seu tamanho. Hoje os melhores sensores são microcircuitos sensíveis à luz, do tipo CMOS (semicondutor de óxido e metal complementar). No exemplo das câmeras Nikon, a de 16,2 megapixels tem um sensor muito maior do que a de 24,2 e permite ampliações ainda maiores das imagens (ou aproximação por zoom), sem introduzir ruído ou distorções. No passado, nos filmes de maior sensibilidade, com 400 ISO, por exemplo, o ruído era visto como granulação. Ou a perda de detalhes.

Milton – Então, qual é a orientação que podemos dar aos futuros fotógrafos?
Ethevaldo – Hoje existem excelentes câmeras compactas, relativamente pequenas, leves, que cabem no bolso, no tamanho e no preço, Milton. São câmeras do tipo aponte-e-dispare (point-and-shot), para quem quer garantir a melhor qualidade com fotos automáticas. Comece por analisar a qualidade da lente, o tamanho do sensor, a resolução em megapixels, mas, também, a possibilidade de tirar fotos manuais muito mais criativas, com a sua escolha de aberturas do diafragma e diferentes velocidades.

Categorias: Tags: ,

Por Ethevaldo Siqueira

Escritor, consultor e jornalista especializado em novas tecnologias. É colaborador da revista Época e comentarista da Rádio CBN. Ethevaldo cobre o setor tecnológico ligado à comunicação há mais de 40 anos entrevistando cientistas, participando de congressos internacionais e visitando exposições, laboratórios e universidades.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *