Pé na estrada com os shows do Capuchon e Folk

No início dos anos 70, fizemos shows (sempre Capuchon e Folk) nas principais intendências da Ilha e nas principais cidades do estado, sendo o mais expressivo em Brusque, com casa lotada e grande vibração do público.

Na apresentação em Blumenau, César Godin atrasou no embarque em Floripa e viajamos sem ele; quando chegamos a Blumenau, este nos ligou apreensivo; mandamos que tomasse um táxi, sem falar nas consequências. Quando lá chegou, deixamos ele se apresentar com o Folk e, depois, comunicamos que a despesa seria paga por ele, que falhara no compromisso. Era a lei da BAM! Mas isto causou um grande mal-estar que nunca foi desfeito.

Na chegada em Florianópolis, Bernardino, que participou do Folk como tecladista esperando a primeira oportunidade para tomar o empresariamento da banda, se ofereceu para tal, tirando o Folk da BAM.

No terceiro ano do Circuito Universitário Estadual, com mais um “tempo” do Capuchon, mudei de função.

Como técnico de som, acompanhei as apresentações da peça “Mesa Grande”, do grupo de teatro da Universidade Federal de Santa Catarina, onde o V. Zero fazia a sonoplastia “ao vivo”, usando canções de Alisson na trilha sonora.

Atuamos em várias cidades de Santa Catarina, num clima estranho, onde a diretora Carmem Fossari “pegava no pé” dos músicos por sua irreverência e estes devolviam com muita gozação e chapação, mas que, ao final, tudo ficava bem pelo sucesso que faziam por onde passavam.

Com a mudança do Batatinha para São Paulo, a BAM foi desfeita, marcando época como a primeira empresa de produções da Capital a trabalhar só com artistas locais.

Foi nesta época que surgiu a empresa de sonorização “Som Cotempo” de Florianópolis, com o simpático e competente “Seu” Osnildo, dono das “Casas Dona Adélia”, numa junção com a Cotempo de Porto Alegre para sonorizar as ruas do carnaval de Florianópolis.

Hoje, nossa Cotempo é uma das maiores do país, liderada por Junior e Sergio, filhos de “Seu” Osnildo, cujos netos continuam a tradição na montagem de palcos, sonorização e iluminação.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *