FOTO: Fábio Queiroz/Agência AL

Solenidade na Praça XV marca os 185 anos da imprensa catarinense

Os 185 anos de fundação da imprensa catarinense foram comemorados dia 28 de julho com ato na praça XV de Novembro, no centro de Florianópolis.

FOTO: Fábio Queiroz/Agência AL

Na ocasião, foi homenageado pela Associação Catarinense de Imprensa (ACI) o patrono Jerônimo Coelho (1806-1860) que, na mesma data em 1831, fundou na Capital o primeiro jornal do estado: O Catharinense.

O presidente da ACI, jornalista Ademir Arnon, lembrou que Jerônimo Coelho teve destacada participação na política da época do Brasil Imperial. Exerceu, ao mesmo tempo, os cargos de ministro da Marinha e da Guerra de D. Pedro II. Antes de retornar para Santa Catarina, foi presidente das províncias de Grão-Pará e do Rio Grande do Sul. “Jerônimo Coelho foi o mais importante catarinense no Império. Nascido em Laguna, este grande homem deixou um legado de ética, e deixou para todos nós, sua grande obra que foi ‘O Catharinense’. Jerônimo Coelho é de importância fundamental.”

O evento também marcou a passagem do aniversário de 84 anos da ACI, como parte das comemorações pela criação da imprensa no estado. “Começamos no dia 12 de julho com evento realizado em parceria com a Federação das Indústrias e vamos finalizar no dia 6 de agosto na cidade de Chapecó com um grande encontro da imprensa”, disse Arnon. Na sexta-feira (29), às 10h, a programação continua no município de Laguna. A homenagem ao ilustre lagunense ocorre na praça que leva seu nome, no centro histórico.

Falando em nome da associação, o diretor da regional oeste da ACI, Marcos Antônio Bedin, reverenciou Jerônimo Coelho e a importância da imprensa para a democracia. “Nós, nesta ocasião, reafirmamos a nossa fé na liberdade de imprensa, na importância da imprensa como instituição republicana para assegurar a liberdade de todas as demais instituições. É o momento em que homenageamos o patrono da imprensa catarinense e também fazemos uma profissão de fé em relação aos compromissos dos jornalistas e todas as profissões abrigadas na área da comunicação na sociedade contemporânea.”

Participaram do evento representantes das três potências maçônicas do estado, da 14ª Brigada de Infantaria Motorizada, do Instituto Histórico e Geográfico de Santa Catarina e da Academia Catarinense de Letras. O evento contou com a apresentação da banda de música do 63º Batalhão de Infantaria, que estava trajada com uniformes do tempo do império.

A história

A data, 28 de julho, foi instituída pela Lei Estadual n° 12.946, de 28 de abril de 2004, como Dia da Imprensa Catarinense. Este foi o dia da primeira publicação de ‘O Catharinense’, em 1831, na capital Desterro, quando Jerônimo Coelho tinha 25 anos. Os exemplares do jornal que ainda restam estão na Fundação Biblioteca Nacional, no Rio de janeiro, e na Biblioteca Pública do Estado. A prensa usada para imprimir o jornal está no Museu Anita Garibaldi, em Laguna, e foi uma doação da maçonaria ao jornalista. Jerônimo Coelho também se destacou como militar e político. Além de idealizar ‘O Catharinense’, criou um segundo jornal, ‘O Expositor’, e fundou a primeira loja maçônica de Santa Catarina. Por esta razão é também patrono da maçonaria catarinense.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *