Posts

1° de abril: a resistência ao Golpe de 64 na Rádio Nacional

A partir da madrugada do dia 31 de março e durante o 1º de abril de 1964, quando o golpe de Estado já estava em curso, com tropas militares em direção ao Rio de Janeiro e adesões no meio civil, a Rádio Nacional, vinculada à presidência da República, se tornou um espaço de resistência democrática. Assim como fez Leonel Brizola em 1961, como governador do Rio Grande do Sul, que montou a “Rede da Legalidade” para defender a posse de João Goulart, os microfones da emissora do Rio de Janeiro ficaram abertos para as manifestações de diferentes segmentos da sociedade contrários à derrubada de Jango.

O golpe… 50 anos depois

Obviamente que o fim do regime de exceção merece comemoração. Temos o direito e o dever de brindar o retorno à democracia e, evidentemente, refletir sobre o período em que o medo, a covardia, o oportunismo, o deboche, a provocação e outras fraquezas humanas se aguçaram e permearam nosso cotidiano por duas décadas. Isso em […]

A história que a mídia faz, conta ou não conta?

Pesquisadores do Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina reúnem-se em Florianópolis para refletir, discutir e analisar o comportamento da mídia durante o regime militar imposto ao país em 1964.

Rádio revela apoio da imprensa ao golpe militar

Mais do que informação e entretenimento, o rádio é um espelho dos fatos históricos. Prova disso está em São Leopoldo, município vizinho à capital gaúcha, onde a rádio Unisinos FM realizou uma reportagem especial sobre o golpe militar de 1964. A edição foi ao ar na quinta-feira, dia 31 de março, no programa “Periscópio da […]