Tem gol!

Tem gol! Gol onde, Antonio Augusto? Aí no Maracanã. Gol da Seleção Carioca, pelo jogo 11 da Loteria Esportiva.

Meu nome é Alexandre Cabreira. Sou o mais recente colunista do Caros Ouvintes e acho que o mais novo da equipe. Comecei em rádio aos 13 anos, na Eldorado, de Criciúma. Muitas situações tragicômicas me fazem admirar esta mídia insuperável, pelo imediatismo da notícia, utilidade pública, facilidade de transmissão e custo acessível, massificando e democratizando a informação. Para começar resolvi contar algumas estórias…

Grito de gol interrompido

Mauri Becker chegou do Oeste aos 17 anos, para ser o terceiro narrador da equipe, comandada por João Nassif. Naquele tempo, a rádio tinha uma política abrangente e transmitia também os jogos das equipes de Tubarão. Mauri narrava Hercílio Luz X Inter de Lages, cumprindo tabela. Na partida principal, Criciúma e Figueirense. Jogo difícil. O Tigre pressionava, mas a bola não entrava. Bola na área do alvinegro. Tensão. Os ouvintes esperam o gol salvador. De repente, um grito de gol ecoa no rádio, interrompendo a vibração do gol da classificação: goooooooool… do Hercílio Luz! Silêncio constrangedor. Na outra ponta da linha, um indignado Afonso Martins apenas denota: e aqui no Heriberto Hülse, o Criciúma também marcou e está na decisão.

Contagem regressiva

Final do campeonato citadino da Região Mineira. Mauri Becker narrava emocionado os minutos finais de Criciúma e Sídera, de Siderópolis. O Criciúma prestes a conquistar seu primeiro título. Sem cronômetro no Ginásio Colombo Salles, Mauri, sem informação da mesa, começa uma surrealista contagem regressiva. É campeão! É campeão! 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2, vai acabar! 1… Não acabou! Ainda falta! 6, 5, 4, 3, 2… É campeão! Não, ele deu falta… 6, 5, 4, 3, 2, agora! Ainda não, gritava um desesperado Mauri Becker. 3, 2, 1, acaba juiz, pelo amor de Deus! Finalmente, o cronômetro colabora e o Tigre é campeão.

Tem gol

O gaúcho Antonio Augusto foi o maior plantão esportivo da história do rádio brasileiro. Dono de voz poderosa e perfeccionista espartano, cobrava o mesmo profissionalismo dos colegas. A rádio Bandeirantes estava no Rio de Janeiro, transmitindo uma partida pelo campeonato brasileiro. Na preliminar, Seleção Carioca X Seleção Paulista. O debate pré-jogo em andamento, quando o trovão ressoou: Tem gol! Gol onde, Antonio Augusto? Aí no Maracanã. Gol da Seleção Carioca, pelo jogo 11 da Loteria Esportiva.

Anarquia

O Eldorado Total foi, durante três anos (justamente quando o produzi), o programa mais anarquista do rádio da região Sul, no final dos anos 1990. Foi a Era de Ouro do sensacionalismo na imprensa, quando os programas do Alborghetti e do Ratinho faziam escola. Eu e o lo(u)cutor Fábio Rogério, e depois João Paulo Messer, levávamos desempregados ao ar pedindo emprego, conseguíamos cadeiras de rodas, ao mesmo tempo que repercutíamos o jornal Notícias Populares, mesclando com muita polícia. A repercussão era imediata. Numa mesma edição participavam o bispo de Criciúma e violeiros da região, pra ter uma idéia. Até um cavalo foi doado para um carroceiro. Uma vez quase levamos um macaco ao estúdio, mas a direção não permitiu. Muitas estórias engraçadas do período serão lembradas neste espaço. Fico por aqui. Um grande abraço! Arrivederci!

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *