‘Testemunha ocular da História’, ‘Repórter Esso’ fez sucesso no rádio e na TV

O programa ”Repórter Esso” foi ao ar pela primeira vez às 12h55 do dia 28 de agosto de 1941, pela Rádio Nacional do Rio de Janeiro, quando a voz de Romeu Fernandes anunciou o ataque aéreo da Alemanha à Normandia, na França, durante a Segunda Guerra Mundial.

reporter_esso_01

Patrocinado pela empresa americana Standard Oil Company of Brazil, conhecida como Esso do Brasil, o noticiário revolucionou o radiojornalismo brasileiro e foi apresentado durante quase 30 anos. Com a inauguração da televisão no Brasil, em 1950, o programa passou a ser apresentado também na TV Tupi, a partir de abril de 1952. A chamada do programa: ”E atenção, muita atenção! Aqui fala o seu ‘Repórter Esso’, testemunha ocular da História”, ao som de fanfarra composta pelo maestro Carioca e Haroldo Barbosa, ficou marcada na memória de várias gerações. Em São Paulo, a transmissão era feita pela Rádio Record.

Até 1944, o ”Repórter Esso” foi apresentado por vários locutores, mas a partir desse ano o gaúcho Heron Domingues tornou-se o primeiro locutor exclusivo – e o mais famoso – do ”Repórter Esso”. Ele ficou18 anos à frente do programa, sendo sucedido em 1962 por Roberto Figueiredo, o último locutor do noticiário. Até 30 de setembro de 1960, o programa ia ao ar quatro vezes ao dia, às 8h, 12h55, 18h30, 20h25 e 22h05, segundo a edição do GLOBO de 27 de agosto de 1966. Nesse ano, o “Repórter Esso” passou a ser transmitido pela Rádio Globo, ficando no ar até 31 de dezembro de 1968, quando Figueiredo emocionou-se ao ler as 27 notícias mais importantes na história do programa.

Quando passou a ser transmitido pela TV Tupi de São Paulo, em 1952, o programa, apresentado por Kalil Filho, foi rebatizado de ”O seu repórter Esso”. Na TV Tupi do Rio, o noticiário foi comandado inicialmente por Luís Jatobá; Gontijo Teodoro assumiu a bancada em seguida, apresentando o telejornal por 18 anos. O noticiário também era transmitido em Porto Alegre, Recife e Belo Horizonte. O noticiário radiofônico anunciou furos de reportagem e notícias históricas, como a morte de Hitler, em 1945, o suicídio de Getúlio Vargas, em 1954, e a morte de Carmen Miranda, em 1955.

Em 1949, o “Repórter Esso” apresentou edições especiais transmitidas de Nova York e Washington durante a visita do presidente Eurico Gaspar Dutra aos Estados Unidos, um esforço de reportagem incomum na época, revelando o apreço pela notícia exclusiva. Produzido pela agência americana Mc Cann Ericson, o “Repórter Esso” foi ao ar inicialmente em Nova York, em 1935, e serviu como instrumento da política de boa vizinhança, tendo sido transmitido por 60 emissoras em 15 países do continente.

Em resenha publicada em 8 de novembro de 2008 no GLOBO sobre o livro de Luciano Klöckner, “O repórter Esso”, o professor João Batista de Abreu, da Universidade Federal Fluminense (UFF), lembra que a Rádio Tupi, com base em informações da Associated Press, foi a primeira a anunciar o fim da Segunda Guerra Mundial, mas só dois dias depois, quando o programa noticiou o fim do conflito, os cariocas saíram às ruas para comemorar. “O episódio mostra a credibilidade conquistada na década de 40 pelo mais importante noticiário radiofônico brasileiro”, afirma Abreu.

reporter_esso_

Essa credibilidade deveu-se à determinação de priorizar a qualidade da apuração ao furo jornalístico, embora muitas vezes o programa se antecipasse à concorrência, contribuindo para alavancar a audiência e o prestígio da Rádio Nacional. Além disso, foi o primeiro radiojornal a ter equipe própria de apuração, abrindo mão do recurso do “tradicional ‘giletepress’, que consistia em separar as notícias publicadas nos jornais e adaptadas à linguagem radiofônica”, comenta Abreu.

O último programa apresentado na TV, em 31 de dezembro de 1970, repetiu o recurso usado no derradeiro “Repórter Esso” no rádio, com a apresentação das principais notícias desde sua estreia.

* com edição de Matilde Silveira

(Por Ana Cristina Tavares, Acervo O Globo, 28/08/2016)

1 responder
  1. Luiz Guilherme Winther de Castro says:

    Job Milton diz que o seu substituto no Repórter Esso foi Dalmácio Jordão, na Rádio Tupi. O programa iniciou na Rádio Tupi em 01.01.1950, vindo da Rádio Record que o fazia antes da Rádio Tupi.
    Realmente, ele diz que Kalil Filho apresentou o programa na Televisão Tupi.

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *