Eva, popular e verdadeira

A bageense Maria Eva Tavares Vergara viveu duas encarnações radiofônicas. Como Tia Eva, ao microfone da Rádio Eldorado AM, de Otávio Gadret, alegrou manhãs e manhãs do povão na Grande Porto Alegre do final dos anos 70 até o início da década de 90. Para alguns, usando o jargão das ruas, ela era bagaceira. Para outros, o seu público, foi uma companheira em duras e mal-remuneradas jornadas de trabalho.

Tia Eva (julho de 1983)

 

Quem ouvia as radionovelas de outros tempos talvez lembre de uma Maria Eva a fazer vozes caricatas, ora interpretando uma preta velha, ora assumindo o papel de uma cigana, mas sempre emprestando uma certa graça ao seu personagem.

Como de outros comunicadores do rádio popular, a maioria vítima de tremendo preconceito, pouco ou quase nada restou do trabalho de Tia Eva. Afinal, diziam que ela era bagaceira. E talvez fosse mesmo, mas o que importa?

Em meio às músicas gauchescas e sertanejas da Eldorado, Tia Eva conversava com o público do jeito dele. E era quase um sinônimo da estação pertencente à então Rede Rio-grandense de Emissoras, a atual Rede Pampa. Em entrevista a Marco Antônio Schuster, do jornal especializado Microfone, a radialista definiu, em 1983, o programa Show da manhã, à época irradiado das 6 às 12h:

– O meu programa é o povão. É o carroceiro, é o lixeiro, é a mulher que limpa as ruas, é a empregada doméstica. É o pessoal sofrido, espremido contra a parede. É nele mesmo que eu quero chegar. É para ele que eu uso esta arma chamada microfone e que eu acho que foi Deus quem colocou aqui na minha mão para que eu possa levar aos meus irmãos de luta nesta vida apertada. Um pouco de fé e de esperança, inclusive para as crianças de manhã cedo, uma mensagem de otimismo, para que elas acordem, para que elas estudem, incentivando as crianças porque elas serão donas do mundo de amanhã.

Assim, Tia Eva inclui quadros voltados para crianças, promoções para os aniversariantes do dia e dedicatórias musicais. Nas quintas-feiras, Tia Eva organiza uma espécie de flerte radiofônico, chegando a registrar casamentos “de véu e grinalda” e com “todas as festas necessárias” entre os ouvintes, solitários, normalmente mais idosos, que acorrem, então, ao estúdio em busca de companhia. Já cada sexta-feira se transforma no Dia da Vovó, quando a comunicadora distribui alimentos doados pelo público – “um pouquinho de cada coisa que eu não consigo dar um rancho completo”. Os ranchos viram, com o tempo, uma espécie de tradição lá no morro do Alto Teresópolis, sede da Rede Pampa. Sem Tia Eva e mesmo sem programação popular em suas emissoras, o empresário Otávio Gadret vai bancar, durante anos, aquelas doações.

O misticismo também estava presente no trabalho de Tia Eva. Pendurado no microfone do estúdio da Rádio Eldorado, no final dos anos 70 e na década de 80, um rosário serve de marca registrada, junto com a garrafa térmica e a cuia de chimarrão. Em um pratinho, uma espécie de simpatia homenageia um de seus incentivadores: alguns grãos de milho, moedas e a fotografia do cantor regionalista Teixeirinha, com quem trabalhou após o fim do radioteatro impedir a continuidade da sua carreira como atriz. Mão estendida que permitiu a ela ir deixando de ser Maria Eva para ficar na memória daquela gente pobre, humilde e desamparada, que, como a Tia Eva, não tinha porque se preocupar em ser ou não bagaceira. Precisava tocar mesmo cada manhã com um pouco de alegria, das piadas brejeiras e dos comentários de duplo sentido.

 

19 respostas
  1. ana paula vergara says:

    Fiquei muito feliz ao encontrar essa linda homenagem a Tia Eva.De uma certa forma é uma maneira de mostrar aos meus filhos a importância que ela teve no mundo da comunicação.Sou casada com o neto mais velho da Tia Eva.Meus filhos, bisnetos dela tiveram a honra de conviver mesmo que por pouco tempo com a pessoa “vô” Eva.Qualquer conteúdo a respeito dela,ficariamos muito felizes em receber.Obrigado

  2. ROBERTO VERGARA says:

    VENHO DESTA TE AGADECER PELA HOMENAGEN A MINHA VÓ UMA PESSOA QUE ME ENCENTIVOU PARA O LADO DO BEM DA VIDA ,UMA PESSOA TANBEM QUE NÃO TINHA PAPAS NA LINGUA SAUDADES? SIM MAS COMO ELA ME FALOU UMA VEZ O CORPO MATERIAL APODRECE MAS A ALMA SIM É PRA SEMPRE

    UM GRADE ABRAÇO
    PRA SEMPRE TIA EVA
    ROBERTO T.VERGARA

  3. claudio hepp says:

    me recordo com saudades daquelas manhãs somente quem ouviu , se recorda com saudades dela ,com certeza será sempre lembrada por alguém em uma conversa revivendo o passado.

  4. Luciana Espíndola says:

    Puxa! Eu sempre tive curiosidade de saber como estaria a Tia Eva, fiquei triste em saber que ela já se foi. Mas é bem verdade que quem viveu de verdade, vive para sempre – dentro de nossos corações.

    Lembro com saudade das manhãs da década de 80 em que acordava com a voz da tia Eva na rádio, e me preparava para ir para a escola. Bons tempos!

    Abraços a todos.

    Luciana Espíndola

  5. CARLOS FREITAS(PARDAL) says:

    –Meus parabéns! …Ah…se todos pudessem ter ouvido essa grande mulher, a mídia radiofônica de hoje não seria tão monótona.
    –Tia Eva sabia nos acordar, sabia manusear com a grande massa como poucos no RS.
    —-E esses “cursinhos” de jornalismo e rádio? Por que não fazem uma pesquisa completa com análises da vida dessa ilustre ícone do rádio?
    ….Me desculpem, mas o tal de Zambiase é FIXINHA perto dessa gigante.

  6. Danilo Barcelos says:

    Fico muito feliz com esta homenagem para um icone do rádio gaúcho, hoje é moda ser popular em rádio mas tia Eva foi pioneira em um tempo que tinha que se cuidar muito o que se falava nos meios de comunicação.
    Não tive o prazer de conviver com ela mas quando trabalhei de locutor na rádio 104 da rede Pampa tive o prazer de estar no estúdio aonde ela dedicou boa parte da sua vida.
    Fique com Deus tia Eva e obrigado por tudo.

  7. marcelo orestes says:

    bá the era mesmo o maximo acodar ouvindo a voz de tia eva gritando para acordar e ir para a escola tempos que não volta mais fica com deus tia eva

  8. Vladimir Carvalho says:

    Aos membros da familia tia EVA meus pesares.

    Hj tenho 39 anos e lembro das manhãs para ir para escola.
    ela gritava muito para acordar, eu na época ficava com minha avó (nome EVA)
    que não perdia nunca a programação. Foi um tempo que pessoas como ela faziam muito
    com tampouco. Já pensaram essa Sra. com essa tecnologia toda? Seria imbativel, como foi!

    Saudades dos tempos Bons e das “EVAS” Minha avó e a Tia.

    Obrigado Tia, avó, mãe e amiga EVAS.

    Vladimir Carvalho

  9. Adriano de Souza says:

    Vamos acordar, vamos acordar. Ta na hora, ta na hora…
    Minha filha, agora no quinto ano, começou a estudar pela manhã e é muito difícil de levantar, então me lembrei do incentivo que tinha quando minha mãe me acordava já com o rádio sintonizado na Eldorado com a Tia Eva gritando. Estou procurando algo parecido para que minha filha lembre dessa fase no futuro.
    Saudades mãe, obrigado Tia Eva.
    Estou saindo para levar minha filha para escola….

  10. Marcelo Soes says:

    Nossa!!!!! que bom ler esta matéria e matar um pouco da saudade da infãncia…. hj tenho 37 anos e acredito que nunca vou me esquecer das manhãs que acordava pra ir a escola e minha saudosa mãe já estava ouvindo a tb saudosa Tia Eva no rádio!! realmente um grande nome da comunicação no Rio Grande do Sul…… #saudades

  11. joao says:

    eu também acordei muitas vezes com a tia eva batendo panela para nós acordarmos.sinto saudade dessa época.era ouvinte assíduo da rádio eldorado am.pena que terminou.

  12. Paulo Gonçalves says:

    Grande Tia Eva. Meu primeiro emprego foi por intermédio dela. Ouvi o anuncio na radio e cheguei no supermercado cedinho. O gerente na época perguntou se fui mandado pela agencia e respondi que foi a Tia Eva que mandou ele me dar a vaga de empacotador. Ele riu muito e me deu a vaga na hora.
    Saudades da Tia Eva.

  13. Silvio says:

    Não contive as lágrimas. Estava pesquisando sobre a Tia Eva e achei esse site. Boas recordações. Que Deus a tenha. Saudades dos bons tempos.

  14. Jasson says:

    Hoje com 39 anos,lembro que quando acordava,escutava tia Eva, transmitindo com todo vigor e alegria,que saía com sentimento que o dia seria o melhor.Essa historia deve ser feito um trabalho de pesquisa e homenagem,pois eu sempre quis conhecer o rosto da tia Eva,e até hoje não conheço!! Mas parabéns por essa grande radialista,que sinto saudades, saudades de escutar as vinhetas “Tia Eva,gosta muito de você”,que Deus ilumine sua família e a a Tia Eva esteja na companhia do nosso bom jesus Cristo.

  15. Elton Vieira Machado says:

    Oi, trabalhei como operador da tia Eva na Caiçara por alguns anos, ainda lembro dos lanches que ela trazia para mim todas as manhas, tb lembro do ritual dela antes de começar trabalhar, a cigana e muito mais. Eu era o operador mas participava no ar com ela, também tinha ouvintes que marcaram essa época, lembro da Ilza Camelo, da Ivone do Sarandi e muitaos outros queridos que nos alegravam com sua participação. Vai um abraço ao filho da Tia Eva que na época trabalhava na TV Pampa, ao Marcelinho vergara. Beijo a todos.

  16. Cláudio Luiz rodrigues says:

    Fiquei muito feliz em ler essa matéria hoje,tava procurando alguma matéria sobre o grande jose adao gaudério de Oliveira, nao encontrei, aí lembrei da grande tia Eva tambem, todos os comentários que li aqui me trouxeram boas lembranças. Que saudade dos bons tempos. Abraços a todos .

  17. JUAREZ MACHADO DE FARIAS says:

    OBRIGADO POR ESSE LINDO RESGATE DA TIA EVA!!! SOU RADIALISTA DESDE 1997, OFÍCIO QUE SEMPRE SONHEI DESDE A INFÂNCIA QUE ERA SIMPLES MAS MUITO FELIZ EM UMA REGIÃO SITUADA NO MUNICÍPIO DE PIRATINI, RS, LUGAR DENOMINADO “COSTA DO BARROCÃO”. O RÁDIO À PILHA ERA NOSSO ÚNICO MEIO DE COMUNICAÇÃO. ENTÃO, A VOZ BEM HUMORADA DE TIA EVA ENTRAVA EM NOSSAS CASAS, COM SUA ALEGRIA, ORA COMO CIGANA, ORA COMO A RADIALISTA SEM PAPAS NA LÍNGUA. QUE SAUDADES!!!

  18. efrem says:

    Parabens pelas palavras de todos. Tia Eva foi referencia na década 70 e 80. saudades. quem nao gostaria de escutar de novo esta voz e seu jeito de lidar com todos.
    Efrem Seabra

  19. faby Trevisan says:

    Trabalho em uma Rádio Am e Fm e ouvintes meus tem comentando que o meu perfil e estilo é bem parecido com o de tia Eva. não tive o prazer de escuta-la, mas me enche de orgulho.

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *