TV Catarina apresenta Mário José Gonzaga Petrelli – 6

Estava articulada a formulação da primeira grande rede de televisão de Santa Catarina com a implantação do Sistema Catarinense de Comunicações.

O SCC, porém, nascia com uma fragilidade que viria a se constituir num dos principais entraves para a sua afirmação. Falta-lhe uma bandeira, uma programação. À época, fora a Rede Globo a oferta de programação limitava-se a TVS – produtora de Sílvio Santos – e a TV Bandeirantes, que em Santa Catarina, já estava com a TV Eldorado de Criciúma.

Restavam esparsas ofertas de programas isolados da TV Tupi de São Paulo, Record, também de São Paulo e a TV Guaíba de Porto Alegre. Restava, portanto a Mário Petrelli rever o seu projeto e adequá-lo às disponibilidades existentes.

Assim, vende a concessão da TV Barriga Verde de Florianópolis para as famílias Brandalise/Bonato e a TV Cultura para a família Freitas de Criciúma. O objetivo agora era investir numa nova concepção de projeto. Estrategicamente Petrelli compõe suas parcerias com a participação nominal dos empresários Oriovisto Guimarães do Paraná, José Matusalém Comelli de Florianópolis e Roberto Amaral de Lages.

Assim, no final da década de 1980 o Sistema Catarinense de Comunicações era composto pelas TVs O Estado de Florianópolis, O Estado de Chapecó e Planalto de Lages, operando com programação do SBT, Sistema Brasileiro de Televisão. A designação de SCC foi substituída por Rede SC – Rede Santa Catarina de Comunicações e assim permaneceu até outubro de 2007, quando o Grupo Petrelli rompe com o SBT e anuncia filiação à Rede Record de São Paulo.

Em fevereiro de 2008, o grupo empresarial de comunicação da família Petrelli passa a se chamar RIC Record, transmitindo a programação da rede de Edir Macedo. Na atual composição o Grupo Petrelli administra oito concessões de televisão no Estado, sendo que a de Criciúma, ainda não foi instalada. Estão em operação em Florianópolis duas emissoras (Record News e RIC Record), as demais – Blumenau, Chapecó, Itajai, Joinville e Xanxerê – todas com programação RIC Record.

Depois dessa expansão, o grupo opera no início de 2009, dez emissoras de televisão, três de rádio, três portais na internet e dois jornais diários. Com esse porte, a RIC – Rede Independência de Comunicação assume a posição de segundo maior grupo regional de comunicação do país.

Categorias: , Tags: , ,

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *