Um grande artista catarinense marcado na memória de gerações

O título é da grande reportagem de Karoline Figueiredo como trabalho de conclusão de curso em jornalismo:  Franklin Joaquim Cascaes nasceu com talento de criar, guardar histórias e anotar detalhes de tudo que lhe chamasse a atenção. Nasceu no bairro de Itaguaçu, na parte continental de Florianópolis, em 16 de outubro de 1908, e faleceu em 15 de março de 1983. Sua vida e trajetória agora estão registrados em uma grande reportagem da formanda em jornalismo karoline Figueiredo. A defesa do TCC dela, “Franklin Joaquim Cascaes: um grande artista catarinense marcado na memória de gerações”, ocorrerá nesta quarta-feira, às 19 horas, na sala de rádio da Faculdade Estácio de Sá (SC).  Frankolino, como era chamado, moldava no barro louças e bonecos para outras crianças. Ajudava na confecção de balaios, cercas de bambu e tarrafas. Fazia esculturas na areia da praia, montava presépio em sua casa e igrejas.

Aos 21 anos completou os estudos e tornou-se professor na Escola Aprendizes Artífices de Florianópolis, atual Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC). Ensinou escultura, desenho, modelagem, e alfaiataria.

Durante 30 anos o artista se dedicou em registrar os costumes e tradições do povo da Ilha de Santa Catarina. Percorria todos os cantos de Florianópolis e continente e por onde passava anotava todas as histórias e crenças do povo: as lendas de bruxas lobisomens e boitatás; as festas folclóricas e religiosas; a vida na comunidade pesqueira e o cotidiano do homem.  Ele transformava em arte as narrativas que ouvia. Cascaes foi um homem à frente de seu tempo. Incentivava a preservação do meio ambiente, mostrava que por meio da arte o homem teria os mais sublimes ensinamentos.

A maior preocupação de Cascaes era deixar documentado as crenças e tradições da cultura açoriana. E que sua arte pudesse servir para a educação. O artista contribuiu para a preservação e valorização da memória cultural e por meio de seus trabalhos é considerado historiador, pesquisador, folclorista e artista plástico.

Serviço: Defesa do TCC “Franklin Joaquim Cascaes: um grande artista catarinense marcado na memória de gerações”

Quando: nesta quarta-feira (20) | Horário: 19 horas | Local: Faculdade Estácio de Sá, laboratório de rádio. | Endereço: Rua Leoberto Leal, 431, Barreiros, São José.

Categorias: Tags: , , ,

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *