Um Mestre – 3

Jair Brito comandou com grande sucesso a Rádio Colombo onde contou com uma equipe de excelentes profissionais em quase todos os setores, especialmente na locução, produção de programas e  sonoplastia.O grande problema  da emissora era o transmissor, onde um casal de descendentes de poloneses tinha a responsabilidade de zelar pelo equipamento, ligar e desligar o transmissor nos horários programados. Essa tarefa, na verdade, era desempenhada pela mulher. O marido, um polaco que falava muito mal o português, costumava tomar grandes porres e surrar a mulher.

De transmissor não entendia nada. Certo dia excedeu-se no vinho e aplicou uma surra olímpica na companheira. Foi a última. A mulher pegou a trouxa e sumiu. A Rádio Colombo ficou um dia inteiro fora do ar por falta de alguém que soubesse ligar o transmissor.

Jair Brito dirigiu, também, a Rádio Ouro-Verde, emissora que pertencia ao grupo político do senador Abilon de Souza Naves e cuja concessão tinha sido comprada pelo jornalista Ronald Stresser. Contratou uma boa equipe de locutores experientes e lançou alguns nomes que se consagraram, como Jota-Jota(João José de Arruda Neto), um jovem de boa aparência e excelente voz que acabou fazendo bela carreira no rádio e na televisão onde atuou como apresentador de tele-jornais e chegou a diretor artístico da TV-Iguaçu e superintendente da TV-Paranaense.

A Rádio Ouro-verde entrou na concorrência pela audiência inovando. Enquanto a maioria das rádios transmitia a programação tradicional, com  esporte, notícias, rádio-teatro e programas de auditório, Jair de Brito programou somente música. “Música…só boa música”, era o slogan utilizado para sua identificação. Dedicado e cuidadoso passava a maior parte de seu tempo na discoteca escolhendo criteriosamente as músicas a serem programadas.

A falta de pagamento de salários aos funcionários da emissora, mais uma vez, interferiu nos projetos desse notável profissional. Com ameaça de greve e decepcionado com a falta de apoio dos proprietários da emissora, deixou o emprego. Passou um tempo em Blumenau, dirigindo a Rádio Nereu Ramos e retornou a Curitiba para assumir a direção de uma nova emissora.

A convite de Jorge Nassar e Kalil Maia Neto, assumiu a direção artística da Rádio Independência de Curitiba. Levou Elon Garcia – um experiente profissional, muito versátil e grande locutor,  para a direção comercial e contratou uma equipe de grandes craques do rádio como Willy Gonzer, Airton Cordeiro, Silvio Ronald, Carneiro Neto, J. Pedro, Paulo César, Alcides Vasconcelos, Gilberto Fontoura.

Criou o “Repórter Petrobrás”, apresentado por Willy Gonzer e montou um departamento de jornalismo com profissionais do setor, sob o comando de Elias Farah. Colocou no ar, “A Baiúca do Xiló”, um programa alegre e muito divertido apresentado todas as noites, onde o locutor Paulo César, recebia cerca de 200 ligações telefônicas, número muito expressivo para a época.

Esse programa liderou a audiência durante muito tempo. Nos primeiros três meses o número de ligações telefônicas aumentou. Repentinamente foi constatado que caíram pela metade as ligações. Jair Brito iniciou uma investigação para saber o motivo. Primeiro, melhorou os textos, criou novos quadros. Como não houve  areação esperada, decidiu plugar a central telefônica num gravador para analisar com mais atenção os telefonemas.

Foi ai que descobriu o verdadeiro motivo da queda. O funcionário que operava a central telefônica segurava ligações, e se fazia passar pelo locutor Paulo César, com objetivo de “cantar” as mulheres que ligavam. O malandro imitava com perfeição a voz do locutor. Com a descoberta o funcionário ganhou o olho da rua e o programa voltou a sua normalidade.

Jair Brito voltou a dirigir a Rádio Guairacá, quando a concessão da emissora  foi comprada por Samuel Silveira e mais tarde retornou  a Rádio Independência, onde ficou até ser contratado para Coordenador Geral de Programação da Rádio Bandeirantes de São Paulo.

Na capital paulista atuou também em  emissoras de televisão como Gazeta, Globo, SBT e Band. Em 1980 voltou a Curitiba com um projeto inovador. Pretendia criar a primeira emissora de rádio com programação dedicada exclusivamente ao jornalismo. Não encontrou apoio.

Fez a proposta do novo tipo de programação para o empresário Miguel Nasser, concessionário da Rádio Cidade, que não demonstrou interesse. Anos mais tarde surgiu a CBN. Por tudo o que fez e inovou na radiofonia, Jair de Brito é considerado  pelos radialistas, que conhecem o seu trabalho, UM MESTRE.

Do livro Sintonia Fina

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *