Um show de jornal

Inicio de 1968, a TV Iguaçu estava no ar há poucos dias, exibindo a programação da TV Record de São Paulo. Os programas como Fino da Bossa, Família Trapo e algumas novelas chegavam em malotes diariamente.
Eram exibidos em Curitiba com diferença de uma semana com relação a São Paulo. Faziam sucesso, apesar do atraso. Mas, nem só de programas gravados em São Paulo vivia a nova emissora de TV de Curitiba. A programação local, inserida entre programas da TV-Globo, conquistou números expressivos nas pesquisas. O setor de jornalismo ganhou grande destaque sob a direção de Ducastel Nicz criador do ¨Show de Jornal,¨ o programa jornalístico de maior audiência na historia da televisão paranaense.

Ducastel e Renato Schaitza produziram um jornal com linguagem coloquial que exigia dos apresentadores, além de boa voz e dicção, um nível de interpretação como se fossem atores em cena. JJ de Arruda Neto, Jamur Junior e Lota Moncada foram os pioneiros na apresentação do famoso jornal. Lota Moncada, uma atriz chilena, aparentada do poeta Pablo Neruda ficou pouco tempo. Jamur Jr. e JJ permaneceram longo tempo no ar e ganharam a companhia de excelentes apresentadoras como Hortência Tayer e Laiz Mann.

Mais tarde o programa foi enriquecido com o apresentador Haroldo Lopes, um profissional de larga experiência no rádio, sempre alegre, bem humorado e divertido.  Foi, sem dúvida, o programa jornalístico de maior audiência, tendo atingido picos de 90% nas pesquisas feitas na época.  Sem recursos técnicos para  ilustrar o noticiário, Ducastel e Renato Schaitza, iniciaram o ¨Show de Jornal¨ se valendo da excelente qualidade do texto que ambos produziam e da boa interpretação dos locutores no ar.

A critica, a sátira e o bom humor  foram introduzidos, contrariando os manuais de telejornais existentes. E deu mais certo do que o esperado. Os apresentadores, todos com  experiência adquirida no rádio, seguros na leitura e bons improvisadores, tinham um desempenho natural, muito à vontade com o que conseguiam se identificar com o publico .
A critica bem feita e de bom gosto, as tiradas de bom humor passaram a fazer parte do roteiro diário desse jornal. Aos locutores era dada ampla liberdade  de interpretação  nos textos, permitindo até algumas piadinhas leves e respeitosas sobre fatos e pessoas envolvidas em algum acontecimento pitoresco.

Certa ocasião, por ordem de um diretor foi introduzido no programa o noticiário das corridas de cavalo. Toda sexta-feira, os locutores apresentavam  as “Barbadinhas do Rafael”, prognósticos feitos pelo jornalista especializado Rafael Munhoz da Rocha e publicados no jornal O Estado do Paraná. Na Televisão as barbadinhas ganharam uma pitada de bom humor a partir do dia em que os locutores começaram a brincar com nomes de cavalos e imitar seus galopes, batendo com as pontas dos dedos na mesa de trabalho.

As “Barbadinhas do Rafael”, foram transformadas em grande atração do Show de Jornal. Toda sexta-feira, era dia de boas risadas, não só dos apresentadores como da maioria do público telespectador. Esse lado bem humorado do Show de Jornal, contudo, não tirava sua altíssima credibilidade. O lado sério e responsável do jornal, era preservado nos textos e na interpretação de cada apresentador.

Os tempos mudaram e o estilo de apresentar jornal na televisão, também.  Perderam o senso de humor e passaram a dar ênfase às noticias policiais e sobre grandes tragédias, grandes ladrões, grandes corruptos, grandes bandidos, temas que na década de 1960 eram desprezados pelos pauteiros do bom e saudável jornalismo televisivo.

4 respostas
  1. Rosimeri soares darosa says:

    concordo que o jornal de hoje ésó desgraça, está faltando o senhor jamur junior voltar para,fazer um jornal sério,mais com um pouco de humor para esse povo sofrido, que liga asua tv,e nada de bom pra ter esprança de melhores dias na sua vida.portanto senhor jamur volte pois eu ,e todos tenho certesa vamos adorar lhe ver nas telinhas.principalmente eu que não tive essa oportunidade,pois aqui em floripa,o eu pude ver ,do senhor .quando criãnça,foi o programa frente a frente.não perdia um,programa seu.agora só leio tudo o que posso sobre sua trajetória nas radios e tvs.é desta forma que aprendi a admirar o seu talento.um abraço no seu coração.

  2. Monsueto Araujo de Castro says:

    Carta aos Senhores Prefeitos

    Gostaria de entender qual a grande dificuldade ou os motivos do pouco interesse do Poder Público Municipal na identificação de algumas – às vezes muitas – ruas e logradouros públicos de muitos bairros da periferia das cidades brasileiras.

    A falta de placas denominativas de muitas ruas de bairros, da periferia das cidades, gera vários tipos de prejuízos aos seus munícipes. Particularmente, nas situações de emergência, quando das chamadas de ambulância, polícia, Corpo de Bombeiros, táxi ou dificuldades para os carteiros, entregadores de encomendas de uma maneira geral e para visitantes da cidade.

    A falta de placas denominativas nas ruas, muitas vezes, provoca atrasos na chegada das pessoas a seus destinos; consequentemente, elas sofrem também perdas financeiras. Quando uma pessoa, na madrugada, procura uma rua e naquela região não existe placa denominativa e não é possível encontrar alguém para pedir informação, a situação acaba virando um martírio.

    O município que valorizar a fixação de placas, indicando a direção de seus bairros, estradas municipais ou vicinais, distritos, entradas da cidade, saídas para rodovias, indicação dos principais pontos e instituições de prestação de serviços públicos e com placas denominativas afixadas nas esquinas das suas ruas, estará favorecendo a todos: moradores e visitantes.
    Monsueto Araujo de Castro-RG 4.672.512-x -Empresário ramo do ensino.R. João de Miranda Melo,544-Mogi das Cruzes – SP – CEP 08717-420 – TEL: (xx11) 47962551
    [email protected]
    Divulgação da mensagem autorizada

  3. Rodrigues do Prado says:

    Amigos, era fã desses telejornais qiando morava em Ponta Grossa, nas presenças de Jamur Junior de Paranaguá e a querida Hortencia Tayer. Saia correndo da escola a noite, para ver a linda Hortencia. Gostaria que me mandasse noticias da Hortencia, por onde ela anda se for possivel mande uma foto desta grande apresentadora.

  4. Jose Emilio Rodrigues do Prado says:

    Por onde anda, Jumur Junior, Hortencia Tayer e o Morassim. Pessoas que acompanhei aí no Paraná quamdo residia em Ponta Grossa. Gostaria que me mandasse uma foto da Hortencia e me conta por onde onda?

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *