Uma canção para Hercílio Luz

Nascido no dia 29 de maio de 1860, Hercílio Pedro da Luz foi governador de Santa Catarina por três vezes e também três vezes senador da República. Notabilizou-se pelo empreendedorismo e pelas realizações que deixou e fazem parte destacada da história de Santa Catarina. Na década de 1920 foi distinguido com o dobrado Dr. Hercílio Luz, ao que se sabe ainda inédito e que tem aqui contada parte de sua história pelo nosso colaborador, jornalista e historiador Carlos Braga Mueller.

O áudio que acompanha este artigo é resultado de uma iniciativa do Instituto Caros Ouvintes, que buscou o apoio do maestro José Ribeiro (Zezinho) para interpretação das partituras, gravadas pelo pianista Vanderlei Jochem, integrante da banda Stagium10.

Marcha / Dobrado Dr. Hercílio Luz

hluz[ Por Carlos Braga Mueller ]

Rebuscando os arquivos deixados por uma tia minha, Antonietta Braga, encontrei um interessante documento histórico/musical: a partitura do dobrado “Dr. Hercílio Luz” para piano, de autoria de Ernesto Julio Bangel, que ela guardava com especial carinho em sua coleção.

A capa é uma belíssima litografia, executada pela Litografia João Petersen do Rio Grande do Sul, a exemplo do que era comum às partituras brasileiras desde a primeira metade do século 19, época em que a fotografia ainda começava a engatinhar e os litógrafos eram incumbidos de executar verdadeiras obras de arte. Este tipo de “artesanato” permaneceu durante décadas, entrando pelo Século 20.

No presente exemplo, temos o rosto do homenageado, dr. Hercílio Luz, então Presidente (Governador) do Estado de Santa Catharina em uma moldura oval. Encimando a moldura acha-se a bandeira do Brasil. À direita da imagem está a antiga bandeira do Estado de Santa Catarina; à esquerda a antiga bandeira farroupilha.

Em letras minúsculas, no canto esquerdo da capa, consegue-se ler: “Lit. João Petersen”.

Sobre esta arte, observa-se o seguinte:

Com relação à bandeira do Brasil, aparecem apenas 19 estrelas (Estados) e o Distrito Federal, quando eram 20 os estados na bandeira que foi criada em 19 de novembro de 1889 e assim permaneceu, sem alterações, durante 70 anos, ou seja, até 1º de junho de 1960.

Examinando a bandeira de Santa Catarina, adotada entre 15 de agosto de 1895 e 10 de novembro de 1937, temos uma discrepância: ao invés do losango central, o litógrafo criou um círculo. Foi Hercílio Luz que promulgou a lei 126, de 15/08/1895, criando a Bandeira e o Brasão do nosso Estado, tendo como autor José Boiteux. Esta lei estabelecia que a bandeira era composta de faixas brancas e vermelhas, dispostas horizontalmente, em número igual ao das comarcas do Estado, e de um losango verde, ao centro da bandeira, dentro do qual havia estrelas de cor amarela, correspondentes aos municípios do estado (como se vê, a cada nova comarca, a cada novo município, a bandeira estaria desatualizada).

Já a bandeira “farroupilha” tem muito a ver com a bravura dos gaúchos que fizeram a “Guerra dos Farrapos” e pretendeu, certamente, homenagear o bravo catarinense Hercílio Luz pelo seu destemor como republicano na luta travada contra os federalistas na revolução de 1893/1895, quando catarinenses e gaúchos lutaram lado a lado, enfrentado os temidos degoladores, os “maragatos” de Gumercindo Saraiva.

Na capa da partitura está destacado “Marcha”, enquanto na partitura a caracterização é de que se trata de um ” Dobrado”. Vale salientar que dobrado é uma música de marcha militar. A cadência das marchas militares europeias sempre exigiu vários tipos de passos: o de estrada, o passo dobrado e o passo acelerado.

Foi do passo dobrado europeu que se originou o dobrado brasileiro, com características próprias, cuja cadência é para marcha de 112 passos por minuto.

Qual o ano desta partitura ?

Tudo leva a crer que ela tenha sido divulgada no início dos anos 20 do século passado, pois refere-se a Hercílio Luz como sendo “Presidente” (Governador) do Estado.

Além de ter sido “proclamado” Governador em Blumenau, durante a Revolução Federalista de 1893, Hercílio Luz foi eleito três vezes para conduzir os destinos de Santa Catarina: de 1894 a 1898, de 1918 a 1922 e de 1922 a 1925. Este último mandato não foi concluído porque ele faleceu no dia 20 de outubro de 1924, aos 64 anos de idade.

Como na imagem da capa da partitura seus cabelos já estão grisalhos, tudo indica que o dobrado foi feito quando exercia seu terceiro mandato.

Proximamente publicaremos o relato de como as partituras foram transformadas no áudio que acompanha este post. Ouça: 

2 respostas
  1. eno josé tavares says:

    UMA CANÇÃO…UM HINO E OU UMA OPERETA PARA HERCÍLIO PEDRO DA LUZ?

    acredito,que os envolvidos em restaurar alguma obra prima da música catarinense,no caso específico do DR HERCÍLIO PEDRO DA LUZ,seria o Arquivo Musical(?)da Policia Militar de Santa Catarina,por onde poderia ter nascido a idéia…Depois,pelo principais Colégios de Santa Catarina:COLÉGIO ESTADUALK DE DE EDUCAÇÃO E SUA ESCOLA “NORMAL”,ídem para Colégio Catarinense e Colégio Coração de Jesus…Em Blumenau terra do homenageado,os Colégios de Padres(Pedro II),Joinville,Laguna e Lages,pois épocas houveram,que era moda o Coro Orfeônico,Bandas Escolares e Jograis…Realmente um trabalho hercúleo,para quem talvez desconheça um detalhe importante:Santa Catarina,durante a vida política do Engenheiro Hercílio Pedro da Luz,tinha muito estudioso e músico de grande valor artístico…Pode ter acontecido por exemplo,com sua sizudez e oposição ao puxa saquismo da época,que o homenageado tenha mandado destruir a obra…No entanto,dada a presença de certas partituras,é bem possivel que a tarefa seja mais fácio do que se pensa….Eo Arquivo Público e a Biblioteca Pública Estadual,não tem nada?

Trackbacks & Pingbacks

  1. […] Leia a matéria e ouça a canção aqui. […]

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *