Uma lágrima por Norberto Ungaretti

A pedido do governador Jorge Lacerda, Norberto Ungaretti foi a Laguna, sua terra natal, com a finalidade de apaziguar divergências no diretório municipal da UDN.

Ungaretti

Ungaretti

Convidou-me e fui junto. Ambos, muito jovens ainda, exercíamos funções no gabinete do Governador e mal nos conhecíamos.

O diretório já estava reunido quando chegamos a Laguna.

E então passei a conhecer verdadeiramente o Ungaretti. Como em reuniões desse tipo, sobravam miúdas questões e, com diplomacia, paciência, inteligência e espírito de conciliação, ele, respeitado e saudado por todos, restaurou a paz no conflitivo ambiente.

A nossa caminhada, do alvorecer da juventude até aqui, parece ter sido tangida por misteriosos desígnios.

Jorge Lacerda nos trouxe para o seu gabinete, nos contaminou sensivelmente pela sua personalidade multiforme, cultura imensa e bondade sem limites. Sua morte nos impactou dolorosamente.

Seguimos então, a luz dos novos ensinamentos. Ambos fomos políticos e, formados em Direito, servimos nos três Poderes do Estado, exercemos o jornalismo, o magistério superior e a espiritualidade nos unia – um no espiritismo, outro no catolicismo, sem fundamentalismos.

Há alguns meses, quando jantávamos com Salomão Ribas Junior, Ungaretti nos propunha um trabalho de que já falara há anos: mais velhos, deveríamos contribuir para a preservação da memória catarinense, pois em breve se iriam perder muitos dos conhecimentos que a vida nos proporcionara sobre Santa Catarina. Era como que a antevisão da breve partida, revelando mais uma vez o amor que tinha pelo nosso Estado.

Walter Zigelli

Walter Zigelli

Ungaretti, tal como Jorge Lacerda, era um orador que encantava, amante da conciliação, bondoso anônimo, amigo de todos, despojado de valores materiais, professor de reconhecida capacidade, até hoje lembrado por seus alunos, Juiz justo, um sábio enfim.

Ambos derramamos lágrimas no acidente aéreo que levou Jorge Lacerda, e na época Ungaretti então proclamava que Jorge não tinha mais o que fazer neste estágio da humanidade, convocado para missões mais altas.

Hoje derramo minhas lágrimas , agora pelo meu amigo Norberto Ungaretti, que foi um homem integral.

( Por Walter Zigelli )

* Walter Zigelli, natural de Joaçaba, iniciou sua atividade profissional como repórter da Rádio Catarinense e do jornal Cruzeiro do Sul, onde chegou à condição de editor, no início da década de 1950. Em Florianópolis, a partir de 1956, fez parte da assessoria do gabinete do governador Jorge Lacerda, juntamente com o irmão Adolfo Zigelli. Graduado em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina seguiu carreira política quando exerceu diversos cargos públicos como parlamentar, advogado e magistrado.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *