Unesco alerta que a ameaça contra jornalistas é grave

Afirmação foi feita pela diretora-geral da agência da ONU para marcar o primeiro Dia Internacional pelo Fim da Impunidade dos Crimes contra Jornalistas este domingo, 2 de novembro.

A diretora-geral da Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, Irina Bokova alertou que a ameaça contra jornalistas é grave no mundo inteiro.
A mensagem de Bokova foi para marcar o primeiro Dia Internacional pelo Fim da Impunidade dos Crimes contra Jornalistas este domingo, 2 de novembro.

Liberdade de Expressão

Ela afirmou que, em média, um jornalista é assassinato por semana e, enquanto as fatalidades incluem correspondentes estrangeiros, a maioria das vítimas é de profissionais locais, cobrindo histórias da região e vivendo num ambiente de impunidade.
Segundo a chefe da Unesco, a liberdade de expressão é um direito humano básico essencial para a dignidade humana, o Estado de Direito e a boa governança.

Ela explicou que nos tempos de mudanças atuais, é importante fornecer aos cidadãos as informações de que necessitam para que estejam bem informados ao tomarem decisões sobre suas vidas e sociedades.

Bokova afirmou que para isso, a sociedade conta com os jornalistas e os meios de comunicação, em conjunto com os produtores de mídias sociais que fazem jornalismo.

Segurança

Mas ela disse que a segurança desses profissionais não está garantida, eles enfrentam ameaças, assédio, violência e até mesmo a morte.

Em dezembro de 2013, a Assembleia Geral das Nações Unidas declarou o dia 2 de novembro como o Dia Internacional pelo Fim da Impunidade dos Crimes contra Jornalistas, para aumentar a conscientização sobre o desafio da impunidade e mobilizar ações contra ela.

A data marca o assassinato de dois jornalistas, Gislaine Dupont e Claude Verlon, no Mali, em 2 de novembro de 2013.

Plano

A Assembleia Geral encarregou a Unesco como agência líder da ONU para este dia, trabalhando com todos os parceiros.

Segundo Irina Bokova, esse é o objetivo do Plano de Ação para a Segurança dos Jornalistas e a Questão da Impunidade, liderado pela Unesco, reunindo agências da ONU, governos, comunidade internacional e sociedade civil, para fazer um progresso real nessa área.

Bokova apelou a todos os governos para garantir investigação rápida e completa cada vez que um jornalista for assassinado, e a todos os parceiros para uma cooperação mais forte a fim de melhorar a segurança dos profissionais.

Ela declarou que a impunidade não deve ser permitida. Neste dia 2 de novembro, a chefe da Unesco disse que todos devem estar juntos para garantir que cada jornalista possa fazer seu trabalho em segurança.

Imprensa Livre

O secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, disse que uma imprensa livre e aberta é um dos alicerces da democracia e do desenvolvimento.

Mesmo assim, Ban afirmou que na última década, mais de 700 jornalistas foram assassinatos pelo simples fato de fazer seu trabalho.

Ele declarou que nenhum jornalista deve arriscar a vida para fazer reportagens e dar as notícias.

O chefe da ONU fez um pedido para que todos unidos defendam os jornalistas e a justiça.

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *