Unesco pede justiça após jornalista ser morto no Brasil

Eduardo Carvalho, editor do site Última Hora News, foi assassinado no estado do Mato Grosso do Sul; segundo agência da ONU, cinco profissionais da imprensa foram mortos no país este ano.

MÍDIA | Leda Letra, da Rádio ONU em Nova York

Irina Bokowa

A diretora-geral da Unesco pediu nesta sexta-feira a investigação do assassinato do jornalista brasileiro Eduardo Carvalho. Irina Bokova apelou pelo reforço da segurança dos profissionais de imprensa no Brasil. Ao condenar o crime, ocorrido há um mês, Bokova ressaltou a necessidade de processar aqueles que usam a violência contra a mídia, em prol da democracia.

Segundo a Unesco, Eduardo Carvalho era dono e editor do site Última Hora News, na cidade de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul. Agências de notícias afirmam que ele levou vários tiros em frente da casa dele.

Ex-policial, Eduardo Carvalho tinha 52 anos e escrevia artigos sobre questões locais. A Unesco destaca que ele já havia escapado de um outro ataque e tinha recebido várias ameaças de morte.

A agência da ONU, a única com mandato para defender a liberdade de imprensa e de expressão, afirma que somente neste ano, cinco jornalistas foram assassinados no Brasil.

Categorias: Tags: , ,

Por Antunes Severo

Radialista, jornalista, publicitário, professor e pesquisador é Mestre em Administração pela UDESC – Universidade do Estado de SC: para as áreas de marketing e comunicação mercadológica. Desde 1995 se dedica à pesquisa dos meios de comunicação em Santa Catarina. Criador, editor e primeiro presidente é conselheiro nato do Instituto Caros Ouvintes de Estudo e Pesquisa de Mídia.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *