Walter Lange

A palavra eletrônica ainda não existia quando Walter Lange começa a produzir os primeiros transmissores usados na radiodifusão em Florianópolis.

R – Na década de 50 qual era sua profissão?

W – Sempre trabalhei com rádio, na época eu já trabalhava com rádio.

R – Isso seria o que, técnico eletrônico? Como é que o senhor se define?

W – Na época era rádio técnico, porque foi um período assim da história da evolução da eletrônica e naquela época não se falava assim eletrônica isso veio mais tarde, eu estava envolvido nisso ai em rádio quando comecei a trabalhar com a Rádio Guarujá. Não como funcionário da Rádio Guarujá, eu era sócio. Fui sócio da Rádio Guarujá quando ela se transformou em rádio porque antes era um serviço de propaganda, quando ela se transformou em rádio é que eu entrei como sócio então éramos três, Epaminondas Santos Júnior, Ivo Serrão Vieira que já era o proprietário do Serviço de Alto Falant! e e eu, interessado na parte técnica. Ali é que realmente começou minha carreira, o meu trabalho que depois se chamou eletrônica.

R – Essa parte aí a gente até conseguiu expor com fidelidade no livro História do Rádio em Santa Catarina. Então, nesse exato momento eu gostaria de saber um pouquinho sobre a sua participação na instalação e funcionamento da Rádio Anita Garibaldi, em que época foi isso seu Walter?

W – Pois é. Eu não posso precisar a resposta à pergunta que me fizeram ontem se eu sabia a data. Eu só posso afirmar que a rádio Anita começou a funcionar mais ou menos um mês antes da licença de funcionamento da rádio Diário da Manhã.

R – É. Então existe uma questão, por exemplo: o início da transmissão da rádio Diário da Manhã foi 30 de janeiro de 1955?

W – 30 de janeiro de 1955.

R – 1955?

W – 1955.

R – Foi o início das transmissões. Teve um programa especial elogiando o governador do Estado na época, o Irineo Bornhausen. Então eu fui nos arquivos! e consta isso, inauguração da emissora 30 de janeiro de 1955! .

W – Um mês antes começou a funcionar a Rádio Anita Garibaldi. Então foi no mês de dezembro que ela começou a funcionar com um aparelho pequeno bem modesto, o aparelho foi instalado no subsolo do prédio do consultório do Dr. J. J. Barreto; puxei uma antena lá pra fora e ela ficou pendurada lá pra rua e ali começou a funcionar. Outra pessoa também interessada infelizmente já falecida era o Hélio K. Silva era o encarregado de toda programação da rádio Anita Garibaldi.

R – Eu tenho uma data aqui que o Antunes me passou: eu queria saber se isso diz alguma coisa para o senhor. Treze de agosto de 1954. Porque me parece que o Nilson Mello tinha falado com o sr. e o Nilson falou com o Antunes e o Antunes me passou por telefone hoje 13 de agosto de 54. O senhor lembra dessa data? Porque o Antunes me disse: – Olha Ricardo, o Nilson Mello falou com seu Walter e o seu Walter lembrou da data de 13 de agosto. Eu não sei se o senhor confirma essa data 13 de agosto.
Trecho inicial da entrevista gravada em 09/098/2002. Texto sem revisão. A íntegra da entrevista pertence ao acervo do Ricardo Medeiros.

Categorias: Tags:

Por Ricardo Medeiros

Doutor em Rádio pelo Departamento de História da Université du Maine (Le Mans, França). Radialista, jornalista, escritor e professor de rádio do curso de Jornalismo da Faculdade Estácio de Sá de Santa Catarina e assessor de imprensa da Prefeitura de Florianópolis. É um dos fundadores do Instituto Caros Ouvintes.
Veja todas as publicações de .

Comente no Facebook

0 respostas

Deixe um comentário

Gostaria de deixar um comentário?
Contribua!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *